Carreira Solo


Roger Taylor nunca foi de se esconder atrás da bateria, foi o primeiro membro do Queen a se aventurar numa carreira solo.

Seu primeiro trabalho solo foi o compacto I WANNA TESTIFY/TURN ON THE TV, lançado em 1979, no compacto Roger mostra seu talento musical cantando e tocando todos os instrumentos. No disco vem a deixa “Roger Taylor is one quarter of Queen, and he made this Record himself”.

Em 1981, Roger lança seu primeiro álbum, com 10 músicas, FUN IN SPACE, que marca o início de uma carreira solo com a veia rock and roll e uma visão crítica e sócio-política nas letras das músicas.

Mais uma vez Roger mostra seu potencial musical, tocando todos os instrumentos no disco. No Violins abre o álbum com uma batida rock básica e com sua harmonia leve; Laugh or Cry, uma balada marcada pelas guitarras; Future Management é no mesmo estilo de Laugh or Cry; Let’s Get Crazy é a faixa mais agitada do álbum, com batidas fortes e um som distorcido; My Country I & II, faz uma crítica ao envolvimento britânico na guerra das Malvinas, o que custou a Roger um processo movido pelo Império Britânico, não sendo a primeira nem a última vez que isso acontece; Good Times Are Now, é um rock estilo clássico com uma batida forte com guitarras claras e simples; Magic is Loose é uma balada que fala das coisas boas que perdemos com o passar do tempo; Interlude in Constantinople é a faixa em que os sintetizadores são postos claramente à mostra, no álbum foram utilizados cerca de 157 sintetizadores, para produzirem vozes distorcidas e sons diferentes, essa faixa se assemelha muito com o álbum Flash Gordon do Queen, o que fez os funcionários do estúdio onde Roger gravou o disco o apelidarem de “Filho de Flash Gordon”. Na faixa Airheads, Roger faz uma “autobiografia”, muitas vezes criticada quando jovem e taxada de “cabeça de vento”, a faixa faz parte da trilha sonora do filme de mesmo nome; E Fechando o álbum vem a balada Fun in Space, com a levada cheia de sintetizadores. Fun in Space, foi bem aceito pelos fãs, chegando na posição 18 na Grã Bretanha, apesar de Hoje, Roger o considerar um erro.

Em 1984, muita agitação em torno do Queen, e seu novo álbum THE WORKS, marcando o retorno do grupo ao bom e velho Rock and Roll. Radio GAGA coloca a banda no ápice das paradas, composição de Roger.

Nesse mesmo ano, Roger Lança o seu segundo disco, STRANGE FRONTIER, com um tema antinuclear, com duas regravações, Racing in the Street de Bruce Springsteen, e Masters of War de Bob Dylan, dois ícones do Rock cuja influência é visível nos trabalhos de Roger.

A primeira faixa do disco, Strange Frontier, é uma crítica ao processo nuclear, o mesmo acontece em Beautiful Dreams; Já Man On Fire, fala da dificuldade de se arrumar emprego e de se sustentar na sociedade atual; Killing Time mostra a influência de revistas em quadrinhos e filmes de ficção cientifica nas letras de Roger; Abandon Fire, Roger mostra sua habilidade com baterias eletrônicas; Young Love, fala para os jovens nunca desistirem de lutar por Amor; It’s na Ilusion com a participação de Rick Partiff do Status Quo, o mesmo que participa na última faixa do álbum, I Cry For You. O Disco no Brasil foi muito bem aceito pela crítica atual, e na capa do disco vinha a pecha “Baterista do Queen”. Até então Roger não tinha como fazer shows solo, primeiro porque ele estava sempre em turnê com o Queen e segundo ele era a banda. Até que em 1986 o Queen parou de fazer shows, o que foi a deixa que Roger não desejava, mas que foi o pontapé inicial para a formação de uma banda paralela ao Queen, o THE CROSS. A idéia de formar outra banda foi algo que assustou alguns fãs, achando que Roger sairia do Queen, o que não aconteceu, ele queria fazer shows (como o Queen havia decidido não fazer mais), então Roger decidiu montar uma banda na qual seria o Vocalista e Guitarrista principal, Roger abriu testes, 400 pessoas se inscreveram, de onde 20 baixistas, 20 guitarristas, 20 bateristas foram selecionados para a fila, da qual saíram: Peter Noone no Baixo, Josh J Macrae na bateria, e Clayton Moss na Guitarra. Spike Edney ex-guitarrista e tecladista de base no Queen se juntou ao s Cross.

O primeiro álbum do The Cross foi gravado na Suíça, em Montreux, em 1987, chamado SHOVE IT, com todas as músicas compostas por Roger. A Capa do álbum foi a primeira polêmica da banda, que foi obrigada a mudá-la, mas umas edições já haviam saído nas lojas, hoje consideradas item raro entre os colecionadores.
The Cross não foi aclamado pelo público como o Queen, ficou mais como uma banda Underground. O Disco começa com a música Shove It, na qual Roger fala da hipocrisia da sociedade que existe já que todos nós somos iguais; A segunda faixa Cowboys and Indians é uma crítica ao American way of life; Contact é uma balada levada pelos teclados de Spike Edney; Heaven for Everyone, é a faixa mais conhecida de todos os fãs, Freddie fez uma participação especial no disco, nos vocais da música, que mais tarde veio a ser re-editada pelo Queen; Stand Up For Love, é uma música simples, clássica do estilo Roger Tayloriano; Love on a Tightrope, é uma música simples e com uma letra “animal”. Love Lies Bleeding, pode ser considerada uma das precursoras do new metal; E encerrando o álbum, Rough Justice, com uma letra crítica e um baixo marcante. Os shows do the Cross eram para pessoas dispostas a uma noite de rock, as suas turnês eram realizadas pelo continente europeu. O set list era composto pelas músicas do álbum Shove It (cowboys and indians, shove it, love lies bleeding, love on a tightrope, stand up for love, contact, heaven for everyone), e músicas do trabalho solo de Roger (Strange Frontier, it’s an illusion, man on fire, laugh or cry, let’s get crazy, Feel the Force (nunca lançada em album antes) e às vezes apareciam alguns clássicos do Queen como, I’m in love with my car, tenement funster, radio gaga e alguns covers, de Bob Dylan, John Lennon, Jimi Hendrix e Led Zeppelin.

Set List


1. Love Lies Bleeding
2. Cowboys And Indians
3. Love On A Tightrope
4. Man On Fire
5. Heaven For Everyone
6. Feel The Force
7. I’m In Love With My Car
8. Laugh Or Cry
9. Manipulator
10. Let’s Get Drunk
11. It’s An Illusion
12. Contact
13. Shove It
14. Strange Frontier
15. Let’s Get Crazy
16. Stand Up For Love

Datas e Locais dos Shows da Turnê “Shove It”


19.2.1988 Leeds, UK
20.2.1988 Glasgow, UK
21.2.1988 Leicester, UK
23.2.1988 Sheffield, UK
24.2.1988 Notttingham, UK
26.2.1988 Manchester, UK
27.2.1988 Bradford, UK
28.2.1988 Newcastle, UK
1.3.1988 Southamton, UK
2.3.1988 Cardiff, UK
4.3.1988 Norwich, UK
5.3.1988 Birmingham, UK
6.3.1988 Leeds, UK
7.3.1988 Bristol, UK
9.3.1988 Guildford, UK
10.3.1988 London, UK
11.4.1988 Bremen, Germany
12.4.1988 Hamburg, Germany
13.4.1988 Berlin, Germany
14.4.1988 Munich, Germany
16.4.1988 Nuremberg, Germany
16.4.1989 17.4.1988 Frankfurt, Germany
16.4.1990 18.4.1988 Hannover, Germany
16.4.1991 19.4.1988 Stuttgart, Germany
16.4.1992 21.4.1988 Dusseldorf, Germany
16.4.1993 22.4.1988 Mannheim, Germany
16.4.1994 23.4.1988 Dortmund, Germany

Em 1989, o Queen retorna com toda sua força com o álbum the miracle, que é uma volta ao som original do Queen.

Como Roger não abandonou suas bandas, ele sempre deixou bem claro que o Queen era sua maior prioridade e em segundo plano era os Cross. Como o Queen não fazia mais turnês, Roger viajava para a Suíça e gravou o segundo álbum do The Cross, lançado em 1990, o Mad, Bad and Dangerous To know. Mad Bad And Dangerous To Know, é mais pesado que o primeiro álbum da banda, e contém músicas da autoria de todos os seus membros. Top of the World é abre o disco, uma composição de todos da banda, com levada de rock, Seguida de Liar, balada que nada se assemelha à canção homóloga do Queen I; Closer To You, composta por Spike Edney e embalada pelos teclados; Breakdown é a segunda balada do disco, mas sempre com as guitarras marcantes; Penetration Guru, é uma das faixas mais pesadas do álbum; Power To Love, é levada pelas pausas e pelo vocal “sing-along”; Sister Blue, outra composição de Spike Edney; Foxy Lady, é um cover de Jimi Hendrix; Better Things, outra balada tocada pelo violão, e cantada por Clayton Moss; Passion For Trash, composta pelo baterista Josh J Macrae; Old Man (Lay Down), composta por Roger Taylor, e marcada pela sua letra crítica; E fechando o Álbum à balada composta por Roger, Final Destination, que mais tarde foi re-editada por Roger e seu amigo japonês Yoshiki.

Set List
1. In Charge Of My Heart
2. Top Of The World Ma
3. Closer To You
4. Cowboys & Indians
5. Breakdown
6. Penetration Guru
7. Power To Love
8. Liar
9. Heaven For Everyone
10. Better Things
11. Man On Fire
12. Old Men (Lay Down)
13. Sister Blue
14. Strange Frontier
15. Foxy Lady
16. Final Destination
17. Shove It
18. I’m In Love With My Car


Em alguns Shows, músicas como Passion For Trash(Frankfurt), It’s an Illusion (Gottingen) foram incluídas no Set List

Datas e Locais dos Shows da Segunda Turnê


??.4.1990 Geneva, Switzerland
21.5.1990 Hannover, Germany
22.5.1990 Bonn, Germany
23.5.1990 Dortmund, Germany
24.5.1990 Goettingen, Germany
26.5.1990 Hamburg, Germany
27.5.1990 Kiel, Germany
28.5.1990 Berlin, Germany
29.5.1990 Amsterdam, Holland
30.5.1990 Frankfurt, Germany
1.6.1990 Ibiza, Spain
2.6.1990 Ibiza, Spain
3.6.1990 St. Wendel, Germany
4.6.1990 Nurnberg, Germany
5.6.1990 Tuttlimgen, Germany
6.6.1990 Mannheim, Germany
7.6.1990 Bielefeld, Germany
8.6.1990 Stuttgart, Germany
15.6.1990 Vienna, Austria

O Terceiro Álbum do The Cross foi o Blue Rock, lançado na Alemanha, com 40 músicas gravadas em estúdio e dessas músicas somente 12 foram escolhidas para aparecer no disco.

A primeira faixa, Bad Attitude, prova que este disco é mais pesado que o anterior, música esta composta por todos os integrantes da banda; New Dark Ages, composta por Roger Taylor e como sempre, com uma crítica à sociedade e aos acontecimentos atuais o (guerras, AIDS, desigualdade social, e etc) esta música, Roger declarou uma vez que gostaria que o Queen a tivesse gravado, mais tarde a banda re-edita Heaven For Everyone, do primeiro álbum Shove It; Dirty Mind, rock pesado com uma letra cômica, uma certa característica da banda; Baby it’s All Right, primeira balada do album; Ain’t put Nothing Down, composta por Clayton Moss, “sobre heróis e sonhadores” segundo Roger; The Also Rans, com um som progressivo e uma letra crítica, “ god don’t love you when you got no bunks” (Deus não te ama se você não tem grana), composta por Roger; Millionaire é uma letra que critica a maneira de ser de certas pessoas ricas; Put it all down to love, é uma das faixas mais pesadas do album; Hand of Fools e Life Changes são duas baladas que se encaixam.

Set List


01.Bad Attitude
02. Millionaire
03. Ain’t Put Nothing Down
04. New Dark Ages
05. Baby It’s Alright
06. Dirty Mind
07. Man On Fire
08. Power To Love
09. Top Of The World Ma
Alguns Set list incluiam The Also Rans depois de Power to love

Datas e Locais dos Shows da Turnê “Shove It”


03.10.1991, Helsinki, Finland
05.10.1991, Hultsfred, Sweden
07.10.1991, Gothenburg, Sweden
09.10.1991, Hannover, Germany
10.10.1991, Hereford, Germany
11.10.1991, Hamburg, Germany
12.10.1991, Bremen, Germany
13.10.1991, Berlin, Germany
14.10.1991, Hof, Germany
15.10.1991, Munich, Germany
16.10.1991, Memmingen, Germany
18.10.1991, Zurich, Switzerland
19.10.1991, Appenweiher, Germ.
20.10.1991, Wertheim, Germany
21.10.1991, Offenbach, Germany
22.10.1991, Düsseldorf, Germany
23.10.1991, Erlangen, Germany
25.10.1991, Dietenheim, Germany
26.10.1991, Erndterbruck, Germany
27.10.1991, Ludwigsburg, Germany

Show começa com uma introdução de Bad Attitude (play back), e o show começa com um estouro e o rock dessa música. Sempre depois da primeira música Roger cumprimenta o público e em algumas músicas ele faz uma pequena introdução como “ welcome to New Dark Ages” ou “ Sometimes I feel like a Man on Fire”. Um ano depois, Roger salta fora da banda, o motivo? “Preciso me concentrar na minha vida, no que eu quero daqui pra frente” e em 2003 Roger Declara “The Cross era uma banda de brincadeira, chega uma hora que a brincadeira acaba, mas continuamos grandes amigos”.Os Membros remanescentes do The Cross chegaram até a lançar um outro disco, desconhecido, mais tarde parte da banda formou a SAS band.O Espírito do The Cross era Roger Taylor, sem ele a banda não sabia e não sabe até hoje o que fazer.

Em 1994, Roger lança seu terceiro disco Solo, HAPPINESS?, Um disco diferente de seu último trabalho em estúdio, que foi o Blue Rock, um álbum totalmente depressivo e melancólico. O álbum foi polêmico, desde o começo. A Primeira faixa, NAZIS 1994, na qual Roger expressa sua opinião sobre os Neo Nazistas na Europa, foi censurada, fazendo Roger voltar em estúdio e mudar, “ we gotta kill those Fucking Nazis” por “We gotta stop these stinking nazis” depois da alteração na música, a censura foi atribuída pelas rádio britânicas e israelitas considerando a música polêmica demais.A Segunda faixa do álbum, Happiness, fala sobre a constante busca do ser humano pela felicidade e que nunca devemos desistir. Revelations , uma faixa com uma letra crítica em que Roger fala da realidade social de todos os continentes; Touch the Sky , é uma letra romântica com uma batida de rock; Foreing Sand é uma música que tem a parceria de Yoshiki do X-Japan, com uma letra que critica a xenofobia na Europa e no mundo; Freedom Train, é uma faixa na qual a bateria marca o sofrimento expresso na letra; You Had to be there, é uma balada depressiva; The key , faixa na qual Roger faz sua crítica à Igreja e aos políticos; Everybody Hurts Sometime , é um “blues” depressivo em que Roger diz que quem nunca se machucou na vida é porque nunca viveu; Loneliness, música melancólica e depressiva, na qual se percebe o estado de mente claro de Roger naquele momento; Dear Mr Murdoch, é dedicada ao Roberto Marinho inglês, Murdoch, que detém em seu poder o maior número de Jornais e TV da Inglaterra, mais tarde Roger vai comprar outra briga com Murdoch, quem Roger culpa pela “pavorosa mídia britânica”; Old Friends fecha o disco com essa balada dedicada a Freddie Mercury, amigo e companheiro de banda no Queen, uma das músicas mais bonitas de Roger.

O Disco, vem com comentários , “ este disco é dedicado ao tigre da tasmânia” “ mas mais em especial pro Freddie”; uma frase de Picasso, “ tudo existe em pequenas proporções especialmente felicidade”.

Set List


01. A Kind Of Magic
02. Touch The Sky
03. Everybody Hurts Sometimes
04. Ride The Wild Wind
05. Tenement Funster
06. Man On Fire
07. ‘You Had To Be There’
08. I Want To Break Free
09. Foreign Sand
10. Voodoo Chile
11. Soul (See You In Hell)
12. I’m In Love With My Car
13. Happiness
14. The Key
15. Revelations
16. These Are The Days Of Our Lives
17. We Will Rock You
18. Radio Ga Ga
19. Nazis 1994
20. Old Friends
21. The Show Must Go On
22. Twist & Shou

atas e Locais dos Shows


28.07.1994, Gosport, UK
15.09.1994, London, UK
26.09.1994, Tokyo, Japan
28.09.1994, Kawasaki, Japan
30.09.1994, Nagoya, Japan
14.10.1994, Cologne, Germany
24.10.1994, Milan, Italy
19.11.1994, London, UK
20.11.1994, Cambridge, UK
22.11.1994, Nottingham, UK
23.11.1994, Newcastle, UK
24.11.1994, Leeds, UK
26.11.1994, Liverpool, UK
27.11.1994, Sheffield, UK
29.11.1994, Glasgow, UK
30.11.1994, Bristol, UK
01.12.1994, Milan, Italy
02.12.1994, Truro, UK
03.12.1994, Manchester, UK
04.12.1994, Wolverhampton, UK
08.12.1994, Paris, France (twice)
16.01.1995, Monfalcone, Italy
17.01.1995, Schio, Italy
18.01.1995, Genova, Italy
20.01.1995, Cesena, Italy
21.01.1995, Firenze, Italy
22.01.1995, Rome, Italy
24.01.1995, Valletta, Malta
25.01.1995, Palermo, Italy
26.01.1995, Catania, Italy
29.01.1995, Napoli, Italy

A banda de Roger formada por Jason Falloon, Josh Macrae (ex baterista do the Cross), Mike Crossley nos teclados e no Baixo Stuart Bradley.

Em 1998, Roger lança o seu quarto álbum ELECTRIC FIRE, muito diferente do anterior, mais pesado e mais “alegre”. Para lançar o Disco Roger fez em sua casa, um show, que foi transmitido ao vivo pela internet para o mundo todo, fazendo Roger entrar no Guiness Book por mais de 500 hits/s , e mais de 600 mil pessoas assistindo ao vivo de todos os lugares do mundo.

Set List


24.9.1998, Cosford Mill, Surrey, UK (Cyberbarn)

1. We Will Rock You
2. Pressure On
3. Nation Of Haircuts
4. Believe In Yourself
5. People On Streets
6. No More Fun
7. Tonight
8. Surrender
9. These Are The Days Of Our Lives
10. Radio Ga Ga

Treana Morris que aparece no Disco não fez participação no show. A Primeira faixa do Álbum, Pressure On, com a participação de uma cantora inglesa que Roger encontrou cantando em um bar, a letra da música , sobre o envelhecimento, e as paranóias da crise da meia idade;Nation of Haircuts, é um rock, com uma letra crítica (clássico Tayloriano), na qual Roger fala de como a Moda dita as regras na Inglaterra, mas de maneira geral o mundo; Believe in Yourself, é uma faixa meio auto-ajuda; Surrender, uma letra sobre violência domiciliar, com a participação de Treana Morris no refrão, e mais tarde, escolhida como tema para a campanha de anti-violência domiciliar na Inglaterra;People On Streets, com um ritmo “indiano”, e uma letra repleta de critica , na qual o título é uma referência ao primeiro título da afamada UNDER PRESSURE do Queen; The Whisperers, faixa progressiva, inspirada no livro de Nicholas Evans, e com trechos do livro, por isso Roger divide a autoria com o escritor;Is It Me?, é um retrato de uma conturbada relação amorosa; No More Fun, é a faixa na qual Roger , critica os cantores e cantoras pops atuais, e se questiona onde está o verdadeiro rock and roll, Roger toca todos os instrumentos nessa faixa, como uma ironia ao pop industrial; Tonight, é uma balada levada pelo violão; Where Are you Now?, é uma balada, com solos de piano; Working Class Hero, é um cover de John Lennon; London Town C’mon Down, traz a influência de Mervyn Peake, escritor inglês, na letra da música, e no final com a leitura do capítulo onde Londres é destruída, do Livro “ LONDON FANTASY”, com a participação de Treana , no refrão da música.

Empolgado com o recorde mundial , Roger decide fazer um show, dessa vez não virtual, no Shepherds Bush Empire, no dia 14/10/99, com a boa resposta do público ao show, fez Roger pensar numa mini-turnê Inglesa.

Set List


01. Interlude In Constantinople
02. We Will Rock You
03. Pressure On
04. Nation Of Haircuts
05. Believe In Yourself
06. I Want To Break Free
07. No More Fun
08. Tonight
09. A Kind Of Magic
10. Surrender (c/ a Treana)
11. These Are The Days Of Our Lives
12. Under Pressure (Com a Treana)
13. London Town C’mon Down (Com a Treana)
14. Band introduction
15. I’m In Love With My Car
16. Tenement Funster
17. Strange Frontier
18. Happiness
19. Radio Ga Ga

Datas e Locais dos Shows da ELECTRIC TOUR


15.03.1999, Gloucester, UK
16.03.1999, Cardiff, UK
18.03.1999, Truro, UK
19.03.1999, Stoke, UK
20.03.1999, Manchester, UK
21.03.1999, Sheffield, UK
23.03.1999, Glasgow, UK
24.03.1999, Edinburgh, UK
25.03.1999, Newcastle, UK
27.03.1999, Liverpool, UK
28.03.1999, Cambridge, UK
29.03.1999, Norwich, UK
30.03.1999, Wolverhampton, UK
31.03.1999, Nottingham, UK
02.04.1999, Portsmouth, UK
03.04.1999, London, UK

Nos três primeiros shows, Roger Tocou People on Streets, e nos últimos quatro shows Rock and Roll do Led Zeppelin, e Twist and Shout.

A banda que o acompanhou em Turnê foi Roger Taylor (vocal, bateria) foi:
Jason Falloon (guitarra principal)
Mike Crossley (teclados)
Keith Prior (Bateria)
Steve Barnacle (baixo)
Matt Exelby (guitarra base)
Treana Morris (vocal)


Texto: Milene Durão


Deixe um comentário: