Cronologia

1946

5 de Setembro – Farokh Bommi Bulsara nasce em Zanzibar, capital da ilha e sultanato de mesmo nome da África Oriental, na época protetorado britânico ( cidade que em 1964 se uniria a Tanganica, território vizinho e antiga possessão alemã, ora sob o mandato britânico, formando a Tanzânia), filho de Bommi e Jer Bulsara, nativos da Pérsia (hoje Irã). Tem uma irmã, Kashemira.


1947

19 de Julho – Brian Harold May nasce em Twickenham, Londres.


1949

26 de julho – Roger Meddows Taylor nasce em King`s Lynn, Norfolk.


1951

19 de agosto – John Richard Deacon nasce em Leicester, Leicestershire.


1956

Bommi Bulsara muda-se para Bombaim, levando o pequeno Farokh, enquanto Jer muda-se para Feltham, Middlesex, na Inglaterra, numa casa a alguns metros da de Brian, embora Brian só vá conhecer Freddie daqui a muitos anos.


1959

Farokh Bulsara muda-se para a casa de sua mãe, em Feltham.


1963

Brian constrói uma guitarra elétrica, com ajuda de seu pai. deixa a escola, apesar de tirar notas altas, para estudar astronomia no Imperial College de Londres. E chega a integrar uma banda chamada The Others, que em 1964 gravara um compacto, “Oh Yeah” – só que, sinto muito, sem a presença de Brian.

Por esta época, John monta seu primeiro grupo, The Opposition, tocando guitarra-base.


1966

Brian May é convidado para trabalhar no Jordrell Bank, mas prefere seguir a carreira de músico.

Roger estuda odontologia no London Medical College.


1967

31 de julho – Brian participa de algumas gravações com o grupo The Left-Handed Marriage, que serão lançadas num CD independente nos anos 90.

Ainda este ano, Brian forma o grupo Smile com Roger e um colega do Imperial College, o contabaixista Tim Staffel.


1969

Sai “Earth”; “Step On Me”, único disco do Smile, produzido por John Anthony. Este disco do Smile sai somente nos EUA, no selo Mercury (ironias do destino). E as composições de Brian deste ano incluem “White Queen”, que o mundo conhecerá no segundo LP do Queen.

Enquanto isso, Farokh Bulsara (que já adotou há muito tempo o nome Frederick “Freddie”” Mercury – Frederick seria equivalente indo-europeu de Farokh, e Mercury é o planeta que rege seu signo astrológico, virgem, embora Freddie, como todo bom virginiano, não acredite em astrologia) integra, por algum tempo, o grupo Wreckage, que às vezes também atende por Sour Milk Sea (talvez inspirado na canção homônima de George Harrison lançada por Jackie Lomax), e não chega a gravar. E seus ídolos incluem Jimi Hendrix, Liza Minnelli, Carmen Miranda e artistas de musicais da Broadway em geral.


1970

Meio do ano – Tim Staffel deixa o Smille, para entrar no Humpy Bong, grupo do guitarrista Colin Petersen, que acaba de sair dos Bee Gees. Em compensação, Tim apresenta a May e Taylor um amigo, Freddie Mercury. Freddie sugere um novo nome para o grupo, Queen (“É apenas um nome”, dirá mais tarde, “mas é muito real (“regal”), obviamente, e soa esplêndido. “Brian acrescentará em 1979: “Na Inglaterra, na época, significava algo bem solto, como uma pessoa bem “Flamboyant”. Não tinha conotações bissexuais. Parece que isso veio um pouco mais tarde.”)

27 de Julho – Primeiro show do grupo, no City Hall de truro, com o nome Queen – ou, mais exatamente, Roger Taylor and Queen, já que Roger é o membro do grupo mais famoso na região deste show, a cidade de Truro, no condado da Cornualha (vá lá que seja, Cornwall); inclusive as filipetas dizem “The Legendary drummer from Cornwall – Roger Taylor – and Queen”. O grupo ainda não tem contrabaixista fixo, e neste show a honra cabe a Mike Groze; a primeira música do show é “Stone Cold Crazy”.


1971

Brian e Freddie montam uma loja de roupas, no Kensington Market em Londres, que duraria 18 meses, para garantir o fundo de caixa do Queen. Enquanto isso, vão procurando um contrabaixista definitivo, inclusive colocando anúncios na imprensa. fevereiro – O escolhido acaba sendo John Deacon, que até já tinha visto alguns shows do Queen.

18 de Julho – Primeiro show com a formação definitiva, no auditório do Imperial College. É o famoso show de graça, com direito a pipoca e laranjada,para o qual o grupo convida 120 pessoas e comparecem 80.


1972

O Queen consegue uma boa permuta com estúdios de gravação recentemente inaugurado, o De Lane Lea, em Wembley, no norte de Londres. Graças à sua habilidade musical e conhecimentos de eletrônica, o grupo é contatado para demonstração e teste de aparelhagens; como o pagamento, podem gravar o que quiserem e ainda ficar com as fitas. Enquanto isso, forma-se uma produtora/estúdio nova e promissora, Trident Audio Productions, cujos técnicos de som e produtores incluem – mas o mundo é mesmo pequeno – John Anthony e Roy Thomas Baker, que já fizeram fama produzindo, respectivamente, discos do Van der Graaf Generator e Nazareth. John convida Roy Baker a conhecer o De Lane Lea e eles chegam ao estúdio justamente quando o Queen está gravando “Keep Yourself Alive”. “Eu achei fabuloso, maravilhoso”, recordara Roy Baker anos mais tarde, ë esqueci totalmente de ver o estúdio!”. Novembro – Roy Baker acaba convencendo executivos da Trident a ver o show do Queen e consegue para eles um contrato de produção, edição de composições e empresariado, e, pensa em produzir o primeiro LP do grupo. A princípio, a trident teme que este novo grupo tome muito tempo do estúdio, mas Baker dá o argumento definitivo: o Queen bem pode gravar durante os horários mortos do estúdio, durante a madrugada – de 22h a 1h e depois a partir das 4 da manhã. “Foi horrível, mas foi assim que gravamos o disco todo”, relembra Baker, dando aquelas risadas que só são possíveis “a posteriori”. Ah, sim: a primeira música gravada é: Keep Yourself Alive.

Enquanto isso, a Trident contrata o americano Jack Nelson, profissional de artistas & repertório, para mostrar o Queen às gravadoras. Após tentarem praticamente todas, a EMI acaba se interessando e contrata o grupo ( e Nelson consegue um contrato paralelo nos EUA com a Elektra, mais tarde o “E” da WEA). Jack Nelson ainda será inspirador de uma música do Queen – Death On Two Legs”. Mas, por enquanto, tudo é só alegria.


1973

9 de abril – A EMI lança oficialmente o Queen com um show no Marquee, em Londres. Junho – Sai o primeiro disco resultante do contrato de gravação do Queen com a EMI – só que, oficialmente, não é um disco do Queen, trata-se de um compacto-solo de Freddie, sob o nome Larry Lurex, cantando (acompanhado pelos outros membros do Queen, exceto John) dois clássicos dos anos 60, “I Can Hear Music” de Phil Spector e “Going Back”de Carole King. 6 de Julho – Sai o primeiro disco do Queen, o compacto “Keep Yourself Alive”; “Son And Daughter”. 13 de julho – Sai o primeiro LP, Queen, melhor divulgado e recebido nos EUA que na Inglaterra.

12 de novembro – “Down in the city just hoople`n me…” primeira grande turnê pela Inglaterra, abrindo para o grupo Mott The Hoople, começando por Leeds.


1974

O Queen é eleito Segundo Melhor Grupo Novo pelos leitores do New Musical Express. 1º de março – Primeira turnê como atração principal, começando no Winter Garden de Blackpool e a terminar no Rainbow de Londres. 14 de março – O compacto “Seven Seas Of Rhye”torna-se o primeiro disco do Queen a chegar às paradas, com uma boa e involuntária ajuda de David Bowie. Explico: seu novo clip, previsto para aparecer no programa de TV Top Of The pops neste dia, é suspenso na última hora e o próprio Queen dublando Seven Seas Of Rhye”acaba tapando o buraco. 6 de abril – A EMI, enciumada com a dedicação da americana Elektra ao divulgar o Queen, resolve exercer todo seu poder de divulgação e o LP Queen II chega ao 5º lugar nas paradas. 12 de abril – Primeira turnê norte-americana, ainda abrindo os shows do Mott The Hoople, a começar por Denver, no colorado. Maio – Infelizmente, Brian contrai hepatite, seguida de uma úlcera no duodeno e a turnê americana pára no meio. Mas Brian não demora a se recuperar (embora os outros membros do Queen o deixem recuperar-se tão completamente em paz que ele se julga desprezado e quase entra para a banda dos Sparks), e logo está pronto o novo LP do Queen, Sheer Heart Attack, que…

Novembro – …chega ao 2º lugar na Inglaterra. O compacto “Killer Queen” também alcança o segundo posto.


1975

Janeiro – O Queen e a Trident começam a brigar por causa de, o que mais poderia ser ?, dinheiro. O grupo dirá mais tarde que, mesmo vendendo cada vez mais discos e lotando muitos shows, seus ganhos não passam de 50 libras por semana, o que a Trident contesta. A gota d`água vem quando John Deacon pede, e lhe negam, um adiantamento de 4 mil libras para acomodar Veronica, sua esposa, que está grávida. “Descobri coisas que nunca tinha percebido”, recordara Freddie em 1977. “Confiança tornou-se uma palavra muito engraçada (…) era preciso manter-se sempre na defensiva”. 5 de fevereiro – Segunda turnê americana, começando por Columbus, no Ohio. O jornal inglês Melody Maker elege o Queen como melhor banda de 1974. Abril – Primeiro show do Queen no Japão… e primeiros lançamentos do Queen no Brasil, Sheer Heart Attack e “Killer Queen”. Maio – Prêmio Ivor Novello por “Killer Queen”. 19 de setembro – Novo empresário: John Reid, o mesmo de Elton John. Setembro/Outubro – O Queen grava, em três semanas “Bohemian Rhapsody”, pastiche de balada, ópera, glitter e heavy (só a parte instrumental leva dois dias, os vocais – que no trecho operístico chegam a totalizar 180 – exigem uma semana, entre ensaios e gravações e a mixagem leva outros dois dias), num total de seis minutos, e tenta, sem sucesso, convencer a EMI a lançá-la em compacto; a EMI acha a faixa longa demais para tocar na importantíssima emissora BBC, que conta muito para as paradas de sucesso. Então o grupo faz uma armação com um dos DJs ingleses mais ousados e influentes, Kenny Everett, da Capital Radio, dando-lhe uma fita de “BoRhap”com a instrução (para inglês ver) de que não a tocasse ainda em seu programa. Num fim de semana, Everett anuncia que já recebeu a nova música do Queen, mas ainda não tem ordens de tocá-la no ar – acrescentando ” Ôpa, meu dedo escorregou…”e, claro, acaba “sem querer”, tocando a gravação. No fim das contas, o dedo do “desastrado”Everett escorregou 14 vezes durante o sábado e domingo e na segunda-feira as lojas estão cheias de gente atrás do disco. A EMI acaba lançando a música em compacto 0 mas não sem dar uma bronca no grupo, que simplesmente passou por cima de seu departamento de publicidade e divulgação. 18 de novembro – Primeiro Disco de Ouro norte-americano, por Sheer Heart Attack. 29 de Novembro – Bohemian Rhapsody torna-se não só o primeiro disco do Queen a atingir o topo das paradas inglesas, mas também o compacto a permanecer mais tempo nessa posição (nove semanas) desde “Diana”de Paul Anka em 1957. 27 de dezembroA Night At The Opera, o LP inglês de produção mais cara desde sgt. pepper`s, também chega ao primeiro lugar.


1976

Janeiro – Freddie, Brian e Roger participam de All American Alien Boy, disco-solo de Ian Hunter, ex-Mott The Hoople. Abril – “Bohemian Rhapsody” chega ao 8º lugar nos EUA. 18 de setembro – O Queen dá um show grátis no Hyde Park de Londres, atraindo cerca de 150 mil pessoas, seu maior público até então. 1º de dezembro – É a vez do Queen dar uma grande chance involuntária a um novo talento: programado para aparecer em Today, talk-show de Bill Grundy na emissora ITV, desiste na última hora e quem toma seu lugar são os Sex Pistols, que enchem o programa de palavrões e acabam encerrando a carreira do programa.

Ainda este ano, Freddie produz o compacto “Man From Manhattan”de Eddie Howell.


1977

janeiro – O Queen excursiona pelos EUA e Canadá. 8 de janeiro – Roger Taylor lança seu primeiro disco-solo, o compacto Ï Wanna Testify”; “Turn On The TV”. 18 de outubro – “Bohemian Rhapsody”, empatado com “A Whiter Shade Of Pale”do procol Harum, é eleito melhor compacto dos últimos 25 anos pela British record Industry.

28 de dezembroNews Of The World rende ao Queen o primeiro Disco de platina nos EUA.


1978

Julho – O Queen constrói um estúdio em Montreux, na Suíça e começa a gravar o novo disco, intitulado… Novembro Jazz, que chega ao 2º lugar na Inglaterra e 6º nos EUA. 16 de novembro – Show no Madison Square Garden de Nova York, com uma canja de várias ciclistas seminuas durante “Fat Bottomed Girls”.

23 de dezembro – O Queen tenta tocar no Estádio de Wimbledon, mas é proibido pela Lawn Tennis Association, que teme pela grama do local.


1979

Julho – Primeiro disco ao vivo, o LP duplo Live Killrs. Novembro– Gravando desta vez em Munique, Alemanha, o Queen lança o compacto “Crazy Little Thing Called Love”, marcando a estréia de Freddie tocando violão em discos ( isso não é típico de minha obra”, comenta Freddie, “mas nada é típico de minha obra”) e conquistando um novo público, o de rockabilly. 7 de dezembro – Só agora a Elektra se convence a lançar “Crazy Little Thing Called Love” em compacto nos EUA e isso após vários DJs tocarem cópias importadas da Inglaterra. Veja só o que vai acontecer ano que vem.

26 de dezembro – O Queen participa do concerto beneficente pelo povo de Cambodja (vá lá, Kampuchea), no Hammesmith Odeon de Londres.


1980

23 de fevereiro – “Crazy Little Thing Called Love”torna-se o primeiro disco do Queen a alcançar o primeiro posto nos EUA (embora não tenha passado do segundo lugar na Inglaterra). Março -Mais um primeiro lugar nos EUA, “Another One Bites The Dust”, lançada em compacto por sugestão de Michael Jackson. O disco acaba conquistando para o Queen mais um público improvável, o de soul/funk/rhythm &blues, chegando inclusive ao segundo lugar na parada r&b da Billboard. Dezembro– Sai a trilha do Queen para o filme Flash Gordon. Ainda este mês, o Queen faz três shows lotados no estádio de Wembley.

8 de dezembro – John Lennon é assassinado em Nova York, ao 40 anos; o Queen o homenageou cantando “Imagine” em alguns shows e compondo um tributo, “Life is Real”, no disco Hot Space.

E ainda este ano, sai a primeira coletânea de sucessos do grupo, The Best Of Queen, na Polônia.


1981

Fevereiro – Show no Japão e na Argentina. 20 e 21 de março – Shows no estádio Morumbi, atraindo 135 mil pessoas no primeiro e 251 mil no segundo, recorde mundial para shows com ingresso pago. Estes shows são parte da turnê sul-americana do Queen (Brasil e Argentina), turnê esta que atende pelo nome “Gluttons For Punishment Tour”. Abril – Segundo disco-solo de Roger, o LP Fun in Space.

Novembro – Sai Queen Greatest Hits, que ficaria anos a fio nas paradas e nos anos 90 se tornaria o LP mais vendido na Inglaterra em todos os tempos. Paralelamente sai Queen Greatest Flix, primeira coletânea oficial de vídeos clips de um artista.

Ainda este mês, o Queen chega ao primeiro lugar na Inglaterra com “Under Pressure”, dueto com David Bowie.


1982

O Queen entra para o Guinnes Book Of records como “Os executivos mais bem pagos da Inglaterra”.

Maio – LP Hot Space, com a qual a banda se declara “insastifeita”, decidindo tirar férias de um ano.


1983

Abril – Brian interrompe suas férias para participar de um jam-session no estúdio Record Plant de Los Angeles, com Eddie Van Halen, o supercontrabaixista Phil Chen, o tecladista Fred Mandel e Alan Gratzer, baterista do REO Speedwagon. O Resultado…

Novembro – …sai na forma de um mini-LP, Star Fleet.


1984

A distribuição dos discos do Queen nos EUA passa da Elektra para a Capitol. Fevereiro – O Queen volta às paradas inglesas com “Radio Ga Ga”, alcançando o 2º lugar – e tornando-se o primeiro grupo em que todos os componentes emplacam composições interpretadas pelo próprio grupo no Top Ten inglês. Março The Works chega ao 2º lugar na Inglaterra e 23º nos EUA. Abril – O Queen faz sua estréia no admirável mundo novo dos compact-disc, com The Works. Julho – Novo disco-solo de Roger, Strange Frontier. Agosto – Show pela Europa, Inglaterra e África do Sul – incluindo oito shows na famigerada Sun City, espécie de Las Vegas africana, cidade turística famosa por seus cassinos e por apoiar a segregação racial (em bom português, “apartheid”). O Queen acaba na lista negra cultural das Nações Unidas e ainda leva sabões em público de artistas como: Paul Weller (ex-The Jam, Style Council). Roger se defenderá em 1986, em entrevista à revista Smash Hits, “Por um lado lamento ter tocado lá, por outro, defendo o que fizemos, quero dizer, basicamente tocamos para pessoas – muitas e muitas, de preferência – e acho que muita besteira se falou por aqui sobre coisas que muita gente não sabe direito o que sejam”. Brian, na mesma entrevista: “Essas criticas não têm justificativa alguma. Somos totalmente contra o Apartheid e tudo o que isso significa, mas sinto muito que tocando lá construímos uma porção de pontes. Conhecemos músicos de ambas as cores. Todos nos receberam de braços abertos. As únicas críticas que recebemos foram de fora da África do Sul”. Mas o Queen promete não mais tocar em Sun City. “Entramos na linha, como todo mundo”, ironiza Brian.

outubro – Primeiro disco-solo de Freddie, “Love Kills” parte da trilha sonora da versão colorizada do filme Metropolis, dirigido por Fritz Lang.

Ainda este ano, o Queen recebe um troféu Silver Clef por sua Contribuição de Destaque à Música Inglesa e a firma japonesa Greco lança uma guitarra modelo Brian May.


1985

janeiro – O Queen toca no Rock in Rio. Onde o show contou com uma platéia de 251 mil pessoas. Esse número colocou a banda no Guinnes Book. Maio – Primeiro LP-solo de Freddie, Mr. Bad Guy (curiosamente, no selo Columbia, em vez da EMI de sempre). O press-release brasílico afirma que o rítimo eletrônico de “I Was Born To Love You” tem influências brasileiras, “internacionaliza nossa marchinha”. Roger Produz “Love Don`t Live Here Anymore”, para o ator e canto inglês Jimmy Nail; o disco chega ao 4º lugar. 13 de Julho – O Queen participa do megashow beneficente Live Aid, no estádio de Wembley; para muitos, sua participação é o ponto do evento. Novembro – O Queen participa da trilha do filme Iron Eagle com a faixa “One Vision”, que, lançada também em compacto, chega ao 7º lugar na Inglaterra. Por esta época John Deacon declara que: “Não somos mais um grupo. Somos quatro indivíduos que trabalham juntos como o Queen, mas nosso trabalho como Queen está tomando cada vez menos de nosso tempo”. Sobre os primeiros boatos de que Freddie estaria com Aids, John comenta: “Ouvi falar que alguém perguntou sobre isso… Deve ser porque a Aids está tão em evidência na imprensa no momento”. John confessa ainda ter receio até negar o boato, já que mesmo negativas levariam a especulação. Dezembro – Sai The Complete Works, caixa de 14 LPs, incluindo todos os LPs oficiais do Queen exceto Greatest Hits e mais um LP exclusivo desta caixa, com todas as faixas lançadas apenas em compactos.

Ainda este ano, “I Want To Break Free” é usada num comercial de lustra-móveis da Fórmula Shell inglesa.


1986

Abril – Freddie contribui com três faixas para o musical Time, produzido por Dave Clark, baterista e magnata do rock inglês (aquele Dave Clark Five). Maio – Deacon forma um grupo, The Immortals, especialmente para gravar a trilha sonora do filme Biggles (exibido nos EUA como Biggles: Adventures In Time). Junho – O novo LP do Queen, A Kind Of Magic, inclui temas do grupo para o filme Highlander e chega ao 1º lugar na Inglaterra e 46º nos EUA. 11 e 12 de julho – O Queen faz dois shows lotados no estádio de Wembley (os mesmos do cd Live at Wembley `86), juntamente com o Status Quo, Alarm e INXS. 27 de julho – O Queen toca no Nepstadion de Budapeste, Hungria – primeiro artista ocidental a tocar nesse país desde o Jazzista Louis Armstrong em 1964. O show rende um filme, Magic In Budapest (lançado em vídeo na Inglaterra com o título Live In Budapest) – sendo também, até onde se sabe, o primeiro show a ser filmado no leste europeu. 9 de agosto – O Queen se apresenta no Knebworth park, participando do Knebworth Festival, para 120 mil pessoas. Ninguém pôde adivinhar, mas foi a última vez que Freddie se apresentou com o Queen.

Dezembro – Novo LP ao vivo, Live Magic, que chega ao 3º lugar na Inglaterra.


1987

Abril – O Queen ganha mais um prêmio Ivor Novello, por “seu sucesso contínuo e estilo musical inovador em toda sua carreira”. Maio – Novo disco-solo de Freddie,”The Great Pretender, regravação do clássico dos Platters (desta vez na velha EMI de sempre); chega ao 5º lugar na Inglaterra. Setembro/Outubro – Roger monta um grupo paralelo, The Cross, onde toca guitarra. Novembro – Novo solo de Freddie, em dueto com a soprano espanhola Montserrat Caballe: “Barcelona”, 8º lugar nas paradas inglesas. Dezembro – Sai The Magic years, documentário em três vídeos sobre o Queen, com shows e entrevistas com o grupo e amigos como Mick Jagger, Ringo Starr e outros.

Ainda neste ano, Brian se une a atriz e cantora Anita Dobson, famosa como Ange da telenovela EastEnders, o programa mais assistido da BBC-TV.


1988

Fevereiro – Primeiro LP do The Cross, Shove It!. Ainda neste mês, Brian produz uma paródia de “Bohemian Rhapsody” para equipe inglesa de humor TheYoung Ones (o disco sai sob o nome Bad News). Outubro – Freddie e Montserrat Caballé cantam “Barcelona”numa feta no Kou Club em Ibiza, espanha, para comemorar a aprovação de Barcelona como sede das Olimpíadas de 1992. Infelizmente foi a última vez que Freddie canta em público. O repórter Martin Townshend, da revista inglesa Vox, consegue uma breve entrevista com Freddie horas antes do show, mas este impõe uma condição charmosa: “Nada de gravadores, querido, você vai ter que escrever à mão”.

Por esta época, tornam-se mais fortes as suposições de que Freddie estaria com Aids, já que alguns de seus amigos mais próximos, como Nicolai Grishanovitch, têm sucumbido à doença nos últimos tempos. Mas o Queen anuncia que Freddie fez o teste e o resultado foi negativo.


1989

Maio – o Queen retorna com o compacto “I Want It All”, que chega ao 3º lugar na Inglaterra. Junho – The Miracle alcança o 1º lugar na Inglaterra e 24º nos EUA. 26 de Julho – Roger dá uma festinha de 40 anos, uma bateria de raios laser corta os céus por cima de sua mansão em Surrey e chega a ser confundida com OVNIs. Dezembro – Brian participa do Rock Aid Armênia, grupo formado “ad hoc” por Ian Gillan, Bruce Dickinson e outros, para ajudar as vítimas de um terremoto na Armênia. gravam “Smoke On The Water: e chegam ao 39º lugar. 4 de dezembro – Sai Queen At The Beeb, com gravações do grupo ao vivo na BBC em 1973. Ainda este ano, Brian produz uma versão de sua “Who Wants To Live Forever”, hit do Queen em 1986, interpretada por uma dupla infantil, Ian & Belinda, lançada em um compacto com direitos destinados ao combate a leucemia ( e a versão de 12 polegadas tras uma versão dessa música cantada por Louise May, filha de Brian).

E o Queen termina os anos 80 como o quarto maior vencedor de discos desse período (não é dessa década, não, senhor(a); a década de 80 só termina em 1990), abaixo de Michael Jackson, Dire Straits e Madonna.


1990

O catálogo do Queen passa a ser distribuído nos EUA pela Hollywood Records, da Walt Disney Company; o valor do contrato chega a oito dígitos e os discos começam a sair no ano seguinte. O queen recebe mais um troféu especial da BPI por sua contribuição à música inglesa e aproveita a ocasião para dar uma baita festa de 20 anos do grupo num clube em Londres. janeiro – Em sua entrevista a revista Guitarist, Brian comenta sobre Freddie não querer voltar aos palcos: “Se ele não quer ou não se sente feliz com isso, então não dá para fazer (shows). Mas é difícil para nós lidarmos com isso, por que o resto de nós ainda adoraria tocar ao vivo”. Se não podem tocar, pelo menos os membros do Queen se consolam vendo shows de outros, como o de Bob Dylan no Hollywood Rock, no Rio; Roger vem assistir ao show e ainda visita os camarins. Dias depois, Brian vem ao Rio com Anita para dias de férias. Outubro – A gravadora Elektra, prestes a completar 40 anos em dezembro, lanca o LP/CD comemorativo, Rubáiyát, com vários de seus contratados atuais interpretando músicas de antigos membros do elenco da gravadora. O Metallica se destaca com “Stone Cold Crazy” do Queen, que inclusive renderá ao grupo um Grammy de “Best Metal Performance” em fevereiro. Interessante é que, segundo a Billboard em 1991, os dois compactos da Elektra mais vendidos em todos os tempos são do Queen: “Crazy Little Thin Called Love” e “Another One Bites The Dust”.

Novembro – brian May compõe a trilha sonora para uma montagem londrina de Macbeth de Shakespeare.


1991

Janeiro – Novo compacto do Queen, “Innuendo”, chega ao 1º lugar na Inglaterra. Fevereiro – LP/CD Innuendo, que alcança o primeiro lugar nas paradas britânicas e também vende bem nos EUA. Março – Mais brincadeiras de Brian, produz e participa de “The Stonk”, da equipe de humor inglesa Comic Relief ( sob o nome Hale & Pace and Stonkers). Setembro – Freddie, já reservado fora dos palcos por natureza, raramente sai para além dos muros do jardim de sua casa em Kensington, o avanço da doença o leva a transformar a casa de 28 cômodos, em uma cínica. Novembro – Sai o novo disco-solo de Brian, Driven By You; Just One Life. 23 de Novembro – Sábado a noite: Freddie faz um comunicado à imprensa: “Seguindo as enormes conjeturas na imprensa nas ultimas semanas, quero confirmar que meu teste de HIV deu positivo e estou com Aids. Senti ser correto manter esta informação em segredo até agora, para proteger a privacidade daqueles à minha volta. No entanto, chegou a hora de meus amigo e fãs em todo mundo saberem a verdade e espero que todos se unam a mim, meus médicos e todos aqueles, no mundo todo, na luta contra esta terrível doença”. 24 de Novembro – Infelizmente, Freddie está nas últimas. Seus pais, Bommi e Jer Bulsara, vêm à sua cabeceira parta se despedirem. Mary Austin, ex-namorada e amiga de Freddie há 21 anos, vai para casa e volta dez minutos arde demais. Dave Clark presencia a morte de Freddie: ” O médico mal tinha saído, eu fiquei lá com ele e então simplesmente caiu no sono”. À meia-noite, Roxy Meade, agente de imprensa de Freddie, anuncia: “Freddie Mercury morreu pacificamente esta noite em sua casa em Kensington, Londres. Sua morte foi o resultado de broncopneumonia, em conseqüência da Aids”.

Dezembro – “Bohemian Rhapsody”, é relançada em compacto ( com lado-B diferente, “These Are The Days Of Our Lives”) e os membros sobreviventes do Queen cedem os direitos deste relançamento ao Terence Higgins Trust, dedicado ao combate à Aids.


1992

Abril – Mais um prêmio – Ivor Novello, por “These Are The Days OF Our Lives”. 20 de Abril – Grande concerto em homenagem a Freddie no estádio de Wembley, com David Bowie, Elton John, Metallica, George Michael e muitos outros, incluindo Liza Minnelli, um dos grandes ídolos de Freddie – “a única pessoa que Freddie teria convidado pessoalmente”, segundo Brian May. Naturalmente, Freddie teria convidado também as 72 mil pessoas presentes na platéia. Junho – Sai o LP/CD duplo ao vivo Live At Wembley `86. Foi erguida uma estátua em homenagem a Freddie em Montreux, Suíça.

Ainda neste ano, sai As It Began, biografia do Queen, por Jackie Gunn e Jim jenkins. Brian lança seu primeiro LP/CD-solo, Back To The Light, chegando a vir ao Brasil para promover o disco.


1993

Bill Wyman sai oficialmente dos Rolling Stones e John Deacon chega a ser cogitado para substituí-lo. Sai Opera Omnia, caixa de 4 CDs com gravações raras ao vivo, tão bem feita que poucos percebem ser pirata. Um lançamento ainda mais bonito (e oficial) é na área da botânica, a rosa Freddie Mercury, de cor amarela. E a firma americana Guild também começa a fabricar uma guitarra modelo Brian May.

Agosto – Surge um dos primeiros grupos cover inglês, Magic, com o show Magic Presents A Tribute To Freddie Mercury And Queen, já anunciando uma agenda cheia até meados de novembro.


1994

Os paralamas do sucesso lançam novo disco, Severino, que inclui uma canja de Brian, na faixa “El Vampiro Bajo El Sol”. Brian participa também de Alternate NRG – Greenpeace, o famoso disco gravado com energia solar, ele toca na faixa “New Damage”, com o grupo Soundgarden. Junho – Sai o Box Of Tricks, pacote de uma extravagância realmente digna do Queen, trazendo o CD Twelve-Inch Collection, o Vídeo Live at Rainbow, duas “badges” do Queen, um pôster gigante com capas de discos do grupo, um livro de 32 páginas e uma camiseta. Setembro – Novo disco-solo de Roger, Happiness? Outubro/Novembro – Leiloa-se um cartão postal que Freddie escreveu no Japão. Detalhe: a carta de autenticação diz que o cartão foi escrito durante uma turnê do Queen em 1969 – só que, o Queen ainda não existia. Talvez só a coragem dos peritos em afirmar isso já valha o preço do cartão, 750 libras. Novembro – Saem dois livros de interesse dos fãs, Mercury And Mede seu jardineiro e ex-amante Jim Hutton (com ajuda do jornalista Tim Wapshott) e Queen And IL The Brian May History, de Laura Jackson.

Neste mesmo ano, o Queen anunciou que seria lançado um novo material com músicas inédita.


1995

É lançado o Champions Of The World, que resume as histórias contadas nos três Magic Years. É lançado o Queen At The BBC, versão americana do disco, já que a versão inglesa já havia sido lançada e, 1989 – “Queen at the Beeb”.

Novembro – É lançado o álbum “Made in Heaven”, com músicas inéditas do Queen, no qual só havia as partes do piano e do vocal, feitas por Freddie . O Queen se reuniu novamente para gravar a base musical deste material.


1996

Brian e Roger, viajam para vários países a fim de divulgar o disco (Made In Heaven).

Novembro – Queen Films e The British Institute unem-se à nova geração de diretores ingleses para prestar uma homenagem derradeira a Freddie Mercury, é lançado o vídeo Made in Heaven – Um Tributo a Freddie Mercury, que é uma série de curtas-metragens tendo por tema as músicas do álbum Made in Heaven (a banda não aparece em nenhum clip).


1997

É lançado a coletânea Queen Rocks, com musicas dos anos 70 e 80 com estilo “rock pesado” da banda e nela foi incluído um single inédito que Brian, Roger e John fizeram em homenagem a Freddie Mercury, essa música se chama No One But You (Only The Good Die Young).


1998

Brian lança mais um novo CD-Solo, Another World. Setembro – Roger lança mais um CD-Solo, Electric Fire. A música Surrender, foi escolhida como tema da campanha de Cornwall, contra violência domiciliar. O show de lançamento do disco foi transmitido ao vivo via internet, bateu recorde de audiência neste tipo de evento e está no guinness book, transmitido ao vivo da casa de Roger para o mundo. Novembro – Brian participa de CD beneficente para crianças com paralisia cerebral. Brian compõe a música “My Boy” especialmente para este CD. O cd chama-se Lullabies with a Difference.


1999

Março – Roger faz uma mini-turnê britânica para promover o Electric Fire. Abril Surgem boatos de que o Queen estaria de volta. Os boatos surgiram após as declarações de Roger ao jornal The Express: “A boa notícia é que eu conversei com Brian na semana passada e ele sugeriu que a gente alugue um estúdio e escreva uma música e então veja o que acontece. Não falo com o John há séculos, mas eu e Brian esperamos que ele tope”. A empresa aérea do Niki Lauda (campeão de Formula 1), faz uma homenagem a Freddie dando seu nome (Freddie Mercury) a seu novo Boeing 737-800. Também este ano o serviço postal britânico lança uma série de selos em homenagem a personalidades do século, entre elas, Freddie Mercury.

Sai mais uma biografia de Freddie, esta escrita por Peter Freestone, que foi mordomo e grande amigo de Freddie. Peter foi uma das pessoas que cuidou de Freddie até seus últimos momentos.


2000

É lançado um Box com todo o material solo oficial de Freddie – Freddie Mercury Solo Collection, o Box traz 10 CDs de áudio, mais dois DVDs com vídeos e entrevistas, além de um livro de 120 páginas com fotos, sendo algumas inéditas. Brian lança mais um CD-Solo, Furia.

Sai mais um CD do Queen, Greatest Hits III.


2001

Novembro – A revista brasileira DVD Music lança o DVD “We Will Rock You“, show gravado em Montreal, Canadá em 1982. Dezembro – O Site oficial do Queen, www.queenonline.com, promove uma turnê virtual começando com o show no Rock in Rio. Neste mesmo mês sai o DVD Flash Gordon.


2002

Janeiro – O modelo da guitarra de Brian ” Red Special da Burns”, oficialmente chamada “Brian May Official Signature Model”, foi escolhida como “Guitarra do Ano” pela revista britânica “Guitarrist”. Freddie é indicado ao Grammy na categoria de Melhor Vídeo Musical de Longo Formato foi pelo documentário “Freddie Mercury – The Untold Story“. Queen vira Musical. O ator Robert de Niro teve a idéia de fazer um musical inspirado no Queen. Depois de muitas idas e vindas, chegou-se a um roteiro final. O texto foi escrito por Ben Elton e teve a colaboração de Brian e Roger,o Musical não conta a história da banda, trata-se de uma aventura futurística construída sobre uma sequência de músicas do Queen e chama-se: We Will Rock You – The Musical. Mais 2 DVDs lançado por revistas brasileiras, desta vez foi o Greatest Flix I e o show Live At Wembley `86 e todos cm preços acessíveis, variando de 14 a 18 reais. Abril – Brian e Roger fazem show surpresa em Amsterdã e reúnem mias 130 mil pessoas, Brian e Roger cantaram umas música e em outras tiveram participação de Patti Russo e Trijntje Oosterhuis. Maio – “Bohemian Rhapsody” ganha mais um prêmio, foi escolhida como o melhor single de todos os tempos pelos britânicos em pesquisa feita pelo Livro Guiness de Recordes. 05 de Maio – É lançado o DVD ” The Freddie Mercury Tribute Concert – Special 10th Anniversary Edition”. São dois DVDs o 1º traz a segunda parte do Concerto e o segundo traz documentário a sobre Freddie, bastidores dos ensaios e galeria de fotos. 03 de Junho – O Queen participa do concerto do Jubileu de Ouro da Rainha Elizabeth II. Brian aparece tocando GOD Save The Queen no telhado do Palácio de Buckingham. Novo DVD lançado por revista brasileira, trata-se do Greatest Flix II. Também são lançados os DVDs: We Will Rock – Special Edition DTS e o primeiro DVD-Audio da banda “A Night At The Opera DVD-Audio Disc”. E já anunciam que o próximo a ser lançado será o do álbum “The Game“. 14 de Outubro – É lançado o DVD Oficial Greatest Vídeos Hits 1, com 2 cds . O primeiro CD com os clipes e o segundo CD com 6 faixas extras, incluindo documentário, ensaios e galeria de fotos. 18 de Outubro – Queen recebeu mais uma homenagem, mais que merecida, ganharam uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood, Brian e Roger estiveram presente à cerimônia para receber a homenagem em nome da banda.


2003

Maio – Brian e Roger participam do especial Pavarotti e Friends- Show beneficente – SOS – Iraque. Agosto – Roger e Brian são convidados pela The Nelson Mandela Foundation para organizarem juntamente com David Stewart (do Eurythmics) o 46664, evento que o ex presidente da África do Sul arrecada fundos na luta contra a Aids Roger e Brian entram em estúdio e produzem 3 músicas para o 46664 -The Nelson Mandela Concert – Invencible Hope (com a participação da cantora inglesa Treana Morris), The Call e Say it’s Not True. Novembro – Acontece o 46664 – The Nelson Mandela Concert – evento mundial de luta contra a Aids, nesse show estavam presentes: Annie Lennox, The Corrs, Bono Vox e The Edge, Zucchero, Beyonce, Queen entre outros.


2004

No final de 2004, Brian May e Roger Taylor participam foram homenageados no Rock Hall Of Fame do Reino Unido, cuja participação de Paul Rodgers (ex-vocalista das bandas de blues-rock e hard-rock Free, Bad Company e The Firm). Esse concerto foi determinante na decisão de se fazer uma nova turnê do Queen em 2005, inicialmente chamada “Queen + Paul Rodgers’s Tour 2005. Com a desistência do baixista John Deacon, os integrantes da banda procuraram alternativas para completar a sua formação. Inicialmente, convidam o guitarrista Jamie Moses, que acompanha Brian May nas suas investidas solo, para a guitarra base, além do eterno “quinto elemento” do Queen, Spike Edney, nos teclados. Posteriormente, foi convidado para ser o baixista oficial da turné Danny Miranda, que que participava na versão de Las Vegas do musical We Will Rock You.


2005

Março – Brian May e Roger Taylor participam novamente, do show beneficente de Nelson Mandela – O 46664 , tendo agora como vocalista, Paul Rodgers abrindo a turnê – Return of the champions 28 deMarço – em uma casa de shows , inicia a primeira apresentação da nova turnê com paul Rodger como vocalista para um publico de 4.600 pessoas. Brian May e Roger Taylor juntam-se a Paul Rodgers, ex integrante do grupo Free e do Bad Company,e fazem uma extensa turnê pela europa . Como resultado desse novo trabalho surge o DVD “Return Of The Champions”.


2006

Brian may é considerado , pela segunda vez, como o melhor guitarrista do mundo, pelo prêmio colocado pela MTV Americana em duelos de solos feitos entre vários guitarristas. Queen lança o compacto single “Say It’s Not True” que foi lançado também para download na internet.A musica composta por Roger Taylor fala sobre a AIDS. Em outubro , Brian may recebe o titulo de “A Survey of Radial Velocities in the Zodiacal Dust Cloud” (“Uma Pesquisa por Velocidades Radiais na Nuvem Zodiacal de Poeira”), tornando-se o primeiro guitarrista a alcançar um título de Ph.D. Roger lança um single com seu Filho Félix Luther- Woman you´re so beatifull- Felix & ARTY- pelo Transistor Project.


2007

Novembro – Brian May foi indicado a chanceler (reitor) da Universidade John Moores de Liverpool, sendo o quarto reitor da universidade e sucedendo Cherie Booth, mulher do ex-primeiro ministro Tony Blair. Queen + Paul Rodgers entram em estúdio para gravarem um disco com músicas inéditas.


2008

Inicia a nova tour entre a Europa , America e America do Sul Queen+Paul Rodgers lançam o 1ºalbum inédito desde o Made in Heaven,chamado “The Cosmos Rocks”. Musical We Will Rock You arrecadou mais de U$ 200 milhões desde sua criação apenas em Londres. Já foi exibido em diversos países como Rússia, Espanha, Alemanha, EUA, Inglaterra, Japão e Canadá.


Parte desta Cronologia foi retira do livro: Biblioteca Musical 7 – Queen – “Deixem-me Entreter Vocês”,
por Ayrton Mugnaini Jr. Ed. Nova Sampa Diretrizes Editorial Ltda.



Deixe um comentário: