Show Morumbi 1981 – Max Taylor Botias

 

PARTE 1 – Compra do Ingresso

Para um office-boy que ganhava salário mínimo, a compra do ingresso ficou na história desse fã aqui, assim que anunciaram as vendas, corri para loja de discos chamada ‘Museu do Disco’ que ficava atrá s do Teatro Municipal.

E sem pensar nas conseqüências, comprei o ingresso Pista, que me levou a falência total, tanto é que dias depois veio o carnaval e todos meus amigos viajaram, inclusive meu irmão, que foi acampar no litoral norte se não me engano.

O fato é que detesto ver desfile de escola de samba, e sem amigos só me restou ver TV dia e noite, e foi desfile, mais dessfile, desfile até me deixar louco a ponto de ficar em dúvida se não seria melhor ter comprado o ingresso para assistir na arquibancada.

 PARTE 2 – A ida

Como tinha 17 anos, sem carro é claro, fiquei de ir com meu irmão e um primo, dois tranquilos sem pressa de chegar, visto que nenhum dos 2 tinha comprado ingressos.

Saímos a meu ver, bem atrasados, pra quem queria ficar na fila do gargarejo (na linha de frente).

E com o transito infernal, a tensão aumentava a cada segundo, pois no dia anterior a banda entrou com pontualidade britânica.

Eu já estava xingando minha própria mãe, e meu irmão dizendo “caaaalma, vai dar tempo”.

 PARTE 3 – A Entrada

Chegando na cara do Morumbi, já se notava a agitação da galera lá dentro, e eu ainda fora disse “PQP chegamos atrasado e eles nem tinha comprado ingresso, que já não havia mais, nem na mão de cambista. sabe o que é vender 200 mil ingressos, só a maior banda de todos os tempos.

Bem não dava mais pra segurar a tensão, larguei os 2 antes do cordão de seguranças, que faziam uma primeira triagem, já que a entrada das cadeiras numeradas (superior / inferior), era junto com a pista.

Mostrei meu ingresso para um segurança, e meu irmão na maior cara de pau, passou pelas costas dele.

Bem meu primo fez o mesmo, quando outra pessoa apresentou o ingresso, ele passou pela primeira triagem.

Já no corredor, onde estava indicado pista para a direita e numeradas para a esquerda, foi a hora de dizer adeus.

Eles tinham consciência de que no portão que dava acesso ao gramado (que estava todo forado com placas de madeira), era algo impossível de se entrar sem ingressos, pois bem eles assistiram sem pagar um tostão.

 PARTE 4 – A Procura do Lugar Ideal

Bom eles fizeram um agito, dizendo que o show já tinha começado, e todos que estavam com seus respectivos ingressos, forçaram a entrada, que dá acesso as numeradas, foi assim que eles que tinham passado 10 dias acampando, assistiram sem gastar nada.

Já eu que estava falido e revoltado com tudo isso, disse a mim mesmo “vou ficar lá na frete, pra valer cada centavo”, afinal tenho 1,60 hoje, imaginem na época, e ainda tinha chegado quase na hora do show começar.

“cença, cença, dá licença” pequenininho, fui me enfiando feito jogador de futebol americano, ombro daquí, ombro de lá, fui até chegar na cara do palco.

Foi quando eu olhei pra cima e não via meio palco, toda parte do meio pra trás, logo não iria admirar meu integrante da banda predileto (Roger Taylor), afastei-me uns 4 ou 5 metros do palco, o suficiente pra ter a melhor visão do palco, foi quando começou o som de We Will Rock You (Fast), que abriu o show, tal como no Live Killes.

 PARTE 5 – O Show

Bem o show em si é indescritível…

 5.1 – As músicas:

01) We Will Rock You (Fast)

02) Let Me Entertain You

03) Play The Game

04) Somebody To Love

05) I’m In Love With My Car

06) Get Down Make Love

07) Need Your Loving Tonight

08) Save Me

09) Now I’m Here

10) Dragon Attack / Now I’m Here (Reprise)

11) Fat Bottomed Girls

12) Love Of My Life

13) Keep Yourself Alive

14) Drums Solo

15) Guitar Solo

16) Flash’s Theme

17) The Hero

18) Crazy Little Thing Called Love

19) Bohemian Rhapsody

20) Tie Your Mother Down

21) Another One Bites The Dust

22) Sheer Heart Attack

23) We Will Rock You (Slow)

24 ) We Are The Champions

25 ) God Save The Queen

As músicas: basicamente eram as melhores do Live Killers, com praticamente todo o The Game, álbum que diversas faixas ainda estavam nas paradas do sucesso e o tema do Filme Flash Gordon, que foi o lançamento da época.

 5.2 Os Detalhes Marcantes:

O primeiro deles foi quando Freddie cantou Somebody To Love (a primeira música do Queen que eu ouvi na rádio e fiquei fã de cara), me arrepia só de pensar.

O segundo veio logo na sequência com I’m In Love With My Car com Roger assumindo os vocais, sem deixar de dar um show a parte na bateria.

O terceiro e quarto foram respectivamente, com Save Me e Love Of My Life, que a galera formou um coro de 200 mil vozes, coisa de louco, só estando lá pra sentir a energia.

O quinto foi com Bohemian Rhapsody, onde só quem estava bem perto, percebeu que eles saíram do palco quando o estádio do Morumbi ficou totalmente escuro, pois o coro feito no estúdio não dava pra ser feito ao vivo, e só deu pra perceber porque, quando, acenderam-se as luzes do palco, o Roger estava sentando no banquinho.

E a sexta foi com We Are The Champions, pois todos alí se sentiam campeões por estarem assistindo a um mega show, que na época não era comum no Brasil, nem na America Latina.

 PARTE 6 – Final do Show

O final como sempre foi com God Save The Queen, e isso significava, que não tinha mais volta, bis, nada disso, o sonho chegava ao fim.

Só Deus sabe como eu acabei encontrando meu irmão e meu primo na saída com toda aquela multidão, saindo ao mesmo tento.

Inesquecível é a palavra que exprime essa experiência vivida a mais de 30 anos.

Max “Taylor” Botias
48 anos, brasileiro, casado, arquiteto e fã desde 1979.
e-mail: mmbotias@gmail.com

Abaixo show completo do dia 20/12/1981

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=_iXOyRtQyaI]

8 comentários:

  1. que massa max, uma aventura e tanto..

  2. RPS em 04/04/2014 às 19:30
  3. eu também fui e nunca me esquecerei de tudo que vi,me arrepio qdo assisto ao show

  4. atania em 19/05/2013 às 17:59
  5. Nunca mais encontrei o rapaz que foi comigo no show, pena, eu o conheci no carnaval e ele dirigiu o meu carro e nós dois agitamos muito, ficamos na arquibancada, quase atrasei, muito transito. Todo mundo muito louco, tomei uma bebiba que as pessoas passavam de boca em boca(Não foi nojento) era a adrenalina a 1000. Mas o gostoso tambem foi as radios tocando Queen toda hora, falando da banda todo momento e decorar as letras das musicas pra cantar com o QUEEN ao vivo no morumbi. Estou arrepiada só de lembrar tudo isso. Valeu Max!!!

  6. Lenice Passos Rodrigues em 24/02/2013 às 13:23
  7. Eu fui lendo e construindo cenas na minha mente. Como se eu estivesse lá, de fato. Pow.. o show aconteceu em 81 ( sou de 94)… putz.. sem palavras mesmo..
    Ainda irei no show do Queen (mesmo sem Freddie e Deacon). Não morrerei feliz eu não ver Brian e Roger.. =)

  8. Caique Lucasz em 17/12/2012 às 22:30
  9. Eu estava lá! Inesquecível! O show que colocou o Brasil no mapa dos grandes shows de rock! Me arrepio de lembrar dos milhares de isqueiros acesos nas arquibancadas quando tocaram love of my life!

  10. Hudson em 21/05/2012 às 20:48
  11. Meu Deus, vc foi um sortudo. Eu não tive a chance de ver o Queen, mas hoje sou fã graças a depoimentos de pessoas como vocês. Agora vou dar meu depoimento: Queen é a melhor banda q já existiu. Nunca vai existir outra igual. Eles me ensinaram o verdadeiro rock. Nunca vou esquecê-los. God Save the Queen ♥

  12. Cassia em 24/03/2012 às 23:43
  13. Nossa!!! Me arrepiei de ler. Que maravilhoso deve ser poder ter tido a oportunidade de ver um show do Queen ao vivo, ainda mais assim de pertinho. Com certeza um momento inesquecível pra qualquer fã. Adorei o depoimento. Obrigada por compartilhar.

  14. Erika em 24/03/2012 às 9:53

Deixe um comentário: