Biografia


Data de Nascimento:
19 de Julho de 1947
Local de Nascimento:
Hampton, Reino Unido
Signo:
Câncer
Educação:
Imperial College London
Graduação:
Física e Astronomia
Músico Favorito:
Jimi Hendrix
Banda Favorita:
The Beatles
Filme Favorito:
“O Mágico de Oz”
Ator Favorito:
Clint Eastwood e James Mason
Atrizes Favoritas:
Natalie Wood
Bebida Favorita:
Cerveja Guinness
Comida Favorita:
Comida Japonesa
Cor Favorita:
Preto
Grupos Anteriores ao Queen:
1984, Smile
Música Favorita do Queen:
Todo o Álbum “Queen II”

Escritor Favorito: Herman Hesse e CS Lewis

Brian Harold May, nasceu em 19 de julho de 1947 em Hampton. Filho único de Ruth e Harold May, seus pais haviam se conhecido durante a Segunda Guerra Mundial, quando Ruth servia no setor de saúde da W.R.A.F., Real Força Aérea feminina, e Harold era operador de rádio e navegador em aviões que faziam a defesa de Malta. Com o fim da guerra eles se casaram e se estabeleceram em Feltham, Middlesex, onde Brian cresceu. Na época, a Europa estava em fase de reconstrução e não havia luxo. Harold passou a trabalhar como desenhista eletrônico para o Ministério da Aviação e construiu tudo o que a família não podia comprar, desde mobília até TV, rádio, toca-discos.

Brian e sua mãe

  Em 1954 seu pai, Harold, começou a ensiná-lo a tocar guitarra havaiana (ukulele) e ele também teve lições de piano quando tinha 5 anos de idade. Brian ganhou seu primeiro violão em seu aniversário de 7 anos.  

Ukulele

 Na escola, começou a se  interessar por física e astronomia. Em 1963, quando tinha 16 anos seus pais não tinham condições de lhe comprar uma guitarra elétrica, mas seu pai (que era engenheiro elétrico) propôs que construíssem uma guitarra juntos, com todas as especificações que Brian achasse necessário. Pegaram materiais aqui e ali: o braço era feito de mogno de uma lareira velha, além de válvulas de motocicleta e velhos botões de pérola.  Depois de 18 meses eles construíram a “Red Special”.

Brian May


Brian May (1965)

Brian formou sua primeira banda em 1964 com o nome de ‘1984’ (cujo nome foi tirado do livro de George Orwell), já com a participação de Tim Staffel, mas ela não emplacou, tendo formado de seguida o “Smile”. Em 1965 ele entra na faculdade Imperial e se bacharelou em Ciências Físicas e Matemáticas.

Banda 1984 com Staffel Dave, Dilloway Richard, Thompson John, Garnham e Brian

Brian se formou em 1968, iniciando um doutorado em astronomia (tendo trabalhado no Observatório de La Laguna, em Tenerife, Espanha), mas na época não concluiu. Na verdade, a decisão de ficar em Londres e proseguir com o doutoramento foi igualmente tomada porque só lá Brian poderia perseguir o sonho da música. E, também porque o seu pai não concordava com o seu “sonho da música”.

No verão de 1967 juntamente com Tim Staffell (vocal e baixo) e Roger Taylor (bateria) formam a banda “Smile” que foi a precursora do Queen, quando devido a saída de Staffell, houve umsubstituído no vocal (Freddie Mercury) e posteriormente a entrada de John Deacon (baixo).

Banda Smile (1969) com Brian, Roger e Tim

O fato de não ter concluído o doutorado foi porque Brian teve que escolher entre as duas paixões: a música e a astronomia. Ambas eram inconciliáveis, pois ambas requeriam um grande esforço e energia. Brian decidiu arriscar e escolheu a música.

Brian casou-se em 1976 com Christine Mullen, o casal tem três filhos (Jimmy -15 de Junho de 1978, Louise – 22 de Maio de 1981 e Emily Ruth -17 de Fevereiro de 1987), mas passou por uma difícil separação em 1988. Desde então, Brian tem como companheira a atriz Anita Dobson.

Christine primeira mulher de Brian

Anita Dobson - atual companheira de Brian

Em junho de 1984, uma empresa chamada ‘Guild Guitars’ lançou um modelo idêntico à famosa Red Special de Brian, chamada de BGM1. Mas no ano seguinte, Brian e Guild se desentenderam a respeito do design do instrumento, resultando no cancelamento da fabricação.

Star Fleet - projeto do Brian, Eddie Van Halen, Phil Chen e Alan Gratzer

Após a morte de Freddie Mercury, o guitarrista se lançou em carreira solo com o álbum ‘Back to The Light’ e veio à América Latina para dar início a uma turnê mundial, brindando os cariocas com um show no ‘Imperator’ em novembro de 1992. Essa turnê, que se prolongou durante todo o ano de 1993, rendeu o álbum ‘Live at The Brixton Academy’. Em seguida, Brian reuniu-se a Roger Taylor e John Deacon para terminar o álbum ‘Made in Heaven’, o último trabalho do Queen com Freddie no vocal.

Made in Heaven

As canções de Brian continuam a influenciar muitos diferentes gêneros de músicos, com versões gravadas por diversos artistas, tais como Def Leppard, George Michael, Ted Nugent, Paige Elaine, 5ive, Shirley Bassey, Metallica, Sweeney Claire, Macy Gray e The Royal Philharmonic Orchestra, conduzida por Tolga Kashif. Brian tem colaborado com inúmeros artistas, incluindo Robbie Williams, Zucchero, Foo Fighters, Guns n’Roses, e The Yardbirds, bem como fazendo aparições em uma série de shows beneficentes, onde realizou solos. Brian teve orgulho de tocar guitarra na música de abertura Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 para o seu amigo, o falecido compositor Michael Kamen.

 Brian desenvolveu um interesse em fazer trilha de filme quando o Queen se tornou o primeiro grupo de rock a sonorizar um grande filme, ‘Flash Gordon’. Realizou as músicas para ‘Highlander’, em 1996 uma ópera ‘Pinóquio’ de Steve Baron e, em 1999, Brian criou uma trilha sonora completa para o filme de arte francês ‘Furia’.

Brian também não é nenhum estranho ao mundo teatral. Fez suas contribuições para o desempenho do trabalho de sua esposa Anita Dobson, ele escreveu e interpretou a música para o “Red and Gold Theatre Company’s ‘Macbeth’, at London’s Riverside Theatre” de Londres em 1987. O enorme e longo sucesso rock teatral ‘We Will Rock You “no Dominion Theatre de Londres recebeu ovações desde sua inauguração em maio de 2002.

Brian May, Roger Taylor e Ben Elton promovendo o musical We Will Rock You

Brian tocando no musical WWRY em Vegas 2005

Em outubro de 2002, o Queen foi homenageado com uma estrela no Walk of Fame em Hollywood, juntando-se aos Beatles como uma das poucas bandas não-americanas que ganharam este prêmio. A canção “We Will Rock You” de Brian foi destacada por ser uma das músicas mais tocadas nos EUA, bem como um hino de esportes para centenas de organizações e equipes de todo os EUA

Brian manteve um compromisso contínuo de consciência com a Aids e conduziu o Queen a se tornar uma força motriz na campanha ‘46664 ‘em colaboração com a Fundação Nelson Mandela, que culminou em um show em Novembro de 2003. O show foi realizado pelos principais artistas Africanos e uma série de artistas internacionais na frente de um público de 40.000 no Estádio Green Point, cidade do Cabo, foi transmitido simultaneamente para uma audiência mundial de TV via webcast, rádio, tornando-se o evento mais amplamente distribuído na mídia da história, com um público de mais de 2 bilhões em 166 países.

Brian e Mandela

Roger, Brian, Eurythmics, Peter Gabriel e Mandela - show 46664

Brian se juntou a uma lista impressionante de talentos mundialmente famosos com quem a PepsiCo International tem trabalhado. Durante as filmagens em Roma, em setembro de 2003, Brian gravou uma versão exclusiva da música ‘We Will Rock You’ com Beyonce, Pink e Britney Spears para acompanhar a epopéia da propaganda da Pepsi, que também tem participação de Enrique Iglesias.

Comercial da Pepsi - Roger, Britney e Brian

Brian May, foi condecorado DEZ/2005 com o título de Cavaleiro da Ordem do Império Britânico, na classe de Commander (CBE),.pela rainha Elizabeth II da Inglaterra. May recebeu a distinção em cerimônia realizada no palácio de Buckingham. Na ocasião, a rainha relembrou a interpretação do hino nacional britânico pelo músico no topo do palácio em 2002, nas comemorações do jubileu de ouro da monarca.

Em 2006, Brian publicou um livro chamado “Bang! – The Complete History of the Universe” onde foi co-autor com Patrick Moore and Chris Lintott.

Após 30 anos do início de sua pesquisa, Brian, a concluiu em outubro de 2007, tendo a intitulado de “A Survey of Radial Velocities in the Zodiacal Dust Cloud” (“Uma Pesquisa por Velocidades Radiais na Nuvem Zodiacal de Poeira”), tornando-se o primeiro guitarrista a alcançar um título de Ph.D.

Brian também mantém o seu interesse em astronomia – um contribuinte regular à ‘Sir Patrick MooreSky at Night’ e atualmente lançou um livro sobre TR Williams, um fotógrafo estéreo proeminente da década de 1850. Brian é patrono de diversas instituições de caridade, incluindo ‘The Mercury Phoenix Trust’ e ‘The British Bone Marrow Donor Association’. Brian também pode ser tratado como Dr. May, desde que foi atribuído um grau honorário de Doutor em Ciências pela Universidade de Hertfordshire. Brian gosta de interagir com seus fãs, que podem contatá-lo e desfrutar de atualizações em seu trabalho e pensamentos através de seu website www.brianmay.com.


Deixe um comentário: