Resenha – Bohemian Rhapsody; The Original Soundtrack

Apesar de ainda não estar em versão física nas lojas (que é a única versão que me interessa investir), já está disponível pelo Spotify a trilha sonora do filme Bohemian Rhapsody. Ou, se você quiser, o filme do Queen. esta trilha, apesar de existir por causa do filme, pode muito bem ser encarada também como mais um lançamento póstumo do grupo com Freddie Mercury, visto que, apesar de não ter nada de verdadeiramente novo em termos de material, tem versões nunca vistas ou nunca lançadas de clássicos da banda. Esta trilha sonora também se torna especial para o fã por ter a apresentação que fizeram no Wembley Stadium em 1985 no Live Aid. Além disso, é um ótimo ponto inicial para quem está conhecendo o Queen agora, e quer ir atrás de mais coisas. Sendo assim, vamos dar uma olhadinha nela.

A trilha abre muito bem com o tema da 20th Century Fox estilo Queen, foi bem legal de ouvir as guitarras de Brian May darem esse brilho. Só acho que ficou faltando o coro característico que a banda faz, aquele “ôôôôô” em coral que sempre soou tão bonito nas faixas em que os caras faziam com Freddie. Só isso, mas gostei. Depois dessa abertura, a gente tem alguns dos temas mais essenciais da banda que você pode imaginar, como a maravilhosa “Somebody to Love” do álbum A Day at the Races. Entre outros clássicos que constam nesta compilação em versão estúdio temos a ótima “Killer Queen”, faixa do disco Sheer Heart Attack, que é um dos discos da banda em comecinho de carreira.

E não podemos nos esquecer da obra-prima “Bohemian Rhapsody” do maravilhoso álbum A Night at the Opera, que tem sua versão aqui na trilha sonora compilada na íntegra, uma vez que no filme eles só mostram o comecinho dela e o restante é estilo making off de estúdio contando como ela foi concebida; aqui você, que é iniciante no Queen, vai ouvi-la com todos os mama mias e galileos que ela possui! Temos também as excitantes “Another One Bites the Dust” do álbum The Game, com aquele groove maneiro que o John Deacon faz no baixo, e “I Want to Break Free” do álbum The Works, mostrando aí algumas das importantes contribuições do baixista da banda, que hoje vive fora dos holofotes.

Ainda podemos ouvir a maravilhosa contribuição conjunta da banda com outra lenda, o saudoso David Bowie, “Under Pressure” do álbum Hot Space, considerado por muitos fãs como o disco mais fraco do grupo, opinião que eu até posso relevar, mas não dizer que seja terrível como alguns fãs suportam. Já ouvi bastante o disco, não é o melhor, mas tem um som legal, diferente.

Aqui também você vai ouvir outra obra-prima, considerada por mim como a música romântica mais perfeita que uma banda já foi capaz de conceber, a maravilhosa, a fantástica “Who Wants to Live Forever” do álbum A Kind of Magic, uma das músicas que fez parte da trilha sonora do filme Highlander. Só para entenderem como amo essa música, ela foi meu tema de entrada na minha cerimônia de casamento em 2012, eu fiz questão de que fosse a música com a qual eu fosse entrar na igreja, se não cantada, pelo menos orquestrada.

Terminando essa leva de canções clássicas compiladas, temos outra obra-prima, a sensacional “The Show Must Go On” do álbum Innuendo, considerada por muita gente como o epitáfio de Mercury, e não sem razão; eu fico arrepiado todas as vezes que escuto essa música na minha vida, e me arrepio ainda mais em tentar cantá-la com seu vocal exigente. Quando fui ver o filme no cinema, cantei todas as músicas da banda do começo ao fim do filme, e quando essa daqui surgiu lá nos créditos, aaaah, eu a entoei a plenos pulmões, tomando todo o cuidado para não desafinar ou dar falsete, e não estava nem aí para a galera da sala, eu estava tendo meu momento com o Queen, saboreando aquilo tudo, desafogando meu fanatismo pela banda. Os incomodados que saíssem da sala! Hehehe!

Agora, falando do material “inédito” (entre aspas mesmo, porque só é inédito pela remixagem e por figurar em disco agora), isso requer dois parágrafos, porque é bastante material. Primeiramente tem o tema de Alfred Newman, “20th Century Fox Fanfare” que eu já citei lá em cima, rearranjado pelo próprio Brian May; creio que só isso seja realmente inédito. Depois temos a música “Doing All Right… Revisited”, que na verdade quem canta aqui é Tim Staffell, porque esta versão foi gravada quando havia o trio Smile, um pouco antes do Queen e da chegada de Freddie Bulsara; mais tarde, esta música figuraria no primeiro álbum do Queen, já com vocais de Freddie.

Também temos aqui um registro ao vivo de um clássico do grupo, “Keep Yourself Alive”, tirado do Live at the Rainbow 74, registro que só nos foi disponibilizado em 2014, e que é da fase inicial da banda. Aliás, para quem tem curiosidade de ver o Queen em seus primeiros dias ao vivo, eu recomendo muito esse registro e o Live at the Hammersmith Odeon 75. Há também a ao vivo “Fat Bottomed Girls”, apresentação tirada do registro Bonsoir Paris 1979, muito embora nos créditos do CD apareça que é faixa não-lançada extra do álbum Jazz (o que não deixa de ser também), e eu sei disso porque sou fã da banda, aliás, nunca vi esse registro em vídeo ser lançado no Brasil.

E já que eu citei lá em cima o Hammersmith Odeon de 1975, aqui temos um registro ao vivo tirado dele, “Now I’m Here”. Podem ir atrás disso, é material muito bom! E aí vamos passar aqui no Brasil, onde temos o registro ao vivo de “Love of My Life”, de Janeiro de 1985, pouco antes do Live Aid; você deve reconhecer, se não, te garanto que a Gloria Maria se lembra direitinho, porque se embananou toda quando foi tentar entrevistar o Freddie nesta ocasião! Mais duas surpresas antes de irmos para o que eu considero o prato principal do disco, é a versão do filme de “We Will Rock You”, que pelo que me parece, junta a versão de estúdio do álbum News of the World com algo não lançado ao vivo dos anos 80, ou com vocais do Marc Martel que é um impersonator do Freddie, não ficou muito claro pra mim, mas eu sei que no filme, o Martel canta um pouco em algumas músicas. Por fim, temos “Don’t Stop Me Now… Revisited” uma versão nunca lançada de “Don’t Stop Me Now”, e que eu achei que ficou até mais legal do que a versão que ouvimos no disco Jazz.

E aí temos o prato principal: a performance nunca lançada em disco do show de 1985 no Live Aid! Não que seja algo realmente inédito, todo fã do Queen já viu esse show, minha filha de 2 anos e eu assistimos ele direto pelo Youtube e ela ama, ela chama o Freddie Mercury de “eeoo”, hehehe. Mas o show em si não é algo novo para fãs, porém é ótimo que finalmente tenhamos a chance de tê-lo em disco… ou quase. Se você é fã e já conhece, trata-se do mesmo show que você já ouviu, ou provavelmente esteve presente em 1985, dependendo de quem você seja, mas com a exclusão de algumas partes. Se não conhece, comece por aqui. Há a primeira parte de “Bohemian Rhapsody”, antes de começar a ópera, depois emendam com “Radio Ga Ga”, seguido do famoso número vocal do Freddie que rendeu o nome de “Ay-oh” e o apelido que minha filha pequena deu a ele; daí já soltam a poderosa “Hammer to Fall”, uma das minhas favoritas do Queen, seguida da clássica “We Are the Champions”. O que não foi incluso aqui foram as performances de “Crazy Little Thing Called Love” e “We Will Rock You”, mais o breve retorno de Freddie e May para executarem “Is This The World We Created…?”, e eu achei um grande erro não terem colocado esses momentos tão legais da apresentação. Fica aí a minha crítica, pois perderam a chance de terem incluso oficialmente o show clássico na íntegra.

Muita gente diz que esta é a apresentação mais importante na carreira do Queen, porém, eu não poderia discordar mais. É sim, excelente, apesar de curta, mas para mim, a mais importante e icônica de todas é a longa apresentação no mesmo estádio do Wembley que fizeram em 1986, e que rendeu um disco e um registro em vídeo. Mas enfim, questão de opinião.

De qualquer forma este lançamento tem coisas para os fãs do Queen (até mesmo para fins de completar a coleção de registros) e também serve para aquele cara que está descobrindo a banda agora e quer um breve resumo; a palavra-chave aqui é breve mesmo, BREVÍSSIMO, eu diria ainda. Serve também para aqueles que só querem a trilha sonora do filme, mas conselho de quem está nessa estrada já faz tempo: vão atrás de mais material da banda! Eu pessoalmente recomendo a caixa com a coleção Greatest Hits, chamada Platinum Collection, envolvendo as edições I, II e III. Lá sim tem muito mais coisa boa, e garanto que depois da Platinum Collection, se você não virar fã fanático do Queen, creio que não vira mais. Acredite, meu primeiro contato com o Queen NA VIDA foi com a compilação Greatest Hits II, e só essa já foi o bastante para eu, aos 15 anos de idade, me apaixonar loucamente pela banda. Comece aqui pela trilha sonora do filme, depois progrida daí, e seja feliz!

Bohemian Rhapsody: The Original Soundtrack (2018)
(Queen)

Tracklist:
01. 20th Century Fox Fanfare (arranged by Brian May)
02. Somebody to Love
03. Doing All Right… Revisited (performed by Smile)
04. Keep Yourself Alive (live at the Rainbow Theatre, London, Sunday 31 March 1974)
05. Killer Queen
06. Fat Bottomed Girls (live in Paris, France, Tuesday 27 February 1979)
07. Bohemian Rhapsody
08. Now I’m Here (live at Hammersmith Odeon, London, Wednesday 24 December 1975)
09. Crazy Little Thing Called Love
10. Love of My Life (live at Rock in Rio Festival, Friday 18 January 1985)
11. We Will Rock You (movie mix)
12. Another One Bites the Dust
13. I Want to Break Free
14. Under Pressure
15. Who Wants to Live Forever
Live Aid, Wembley Stadium, London, Saturday 13 July 1985
|| 16. Bohemian Rhapsody (live)
|| 17. Radio Ga Ga (live)
|| 18. Ay-Oh (live)
|| 19. Hammer to Fall (live)
|| 20. We Are the Champions (live)
21. Don’t Stop Me Now… Revisited (previously unreleased version)
22. The Show Must Go On

Selo: Hollywood / Virgin EMI

Queen é:
Freddie Mercury: voz, piano
Brian May: guitarra, voz
John Deacon: baixo
Roger Taylor: bateria, voz

Faixa 3 – Smile:
Tim Staffell: voz e baixo
Brian May: guitarra
Roger Taylor: bateria

 

Fonte: https://whiplash.net

 

Alexandre Portela

Fã do Queen desde 1991. Amante, fascinado pela banda e seus integrantes. Principalmente Freddie! =)

Outras notícias

Show do Classical Queen no feriado

Postado por - 11 de outubro de 2006 0
Dica para quem não vai viajar neste feriado:Show da banda Classical Queen, 5a feira, 12 de outubro, a partir das…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.