Daily Mail Weekend, 22nd January *2000

Freddie Mercury me deixou seus milhões”
Daily Mail Weekend, 22nd January *2000

Matéria do site: http://www.freddie.ru

Nota do webmaster do site: acho que esta entrevista vale a pena, embora haja muitas discrepâncias, especialmente a respeito das datas. Certamente David Wigg não é um perito sobre o Queen e deve ter confundido alguns fatos e eventos famosos para todos que é familiarizado ao menos com a discografia do Queen. Bohemian Rhapsody foi escrito antes deles.



O mundo entra em choque quando o extravagante Freddie Mercury, que morreu de AIDS, 1991, deixa um volume de milhões de libras de sua fortuna para sua namorada. Mas por anos Freddie e Mary Austin viveram juntos como homem e mulher e agora, pela primeira vez, a mulher que ele amou conta a DAVID WIGG como o dinheiro não era somente o legado da estrela.

“Quando Freddie Mercury disse primeiramente `a sua namorada Mary Austin que pretendia lhe deixar sua magnífica mansão georgiana em London’s Kensington, sua reação imediata foi de choque e medo. De fato, ela estava tão apavorada de ter uma responsabilidade enorme que o pediu que colocasse a casa, com sua coleção bonita do moveis antigos e pinturas, na confiança de um museu.

Freddie considerou esta opção, mas decidido ele quis que Mary – sua amante por seis anos antes dele decidir preferir os parceiros masculinos – ter algo permanente em sua vida. Não somente deixou-lhe sua mansão, que está atrás de um jardim japonês belíssimo, mas também o volume de sua fortuna de milhões de libras , com uma renda para a vida de seus vastos records de vendas e publicidade.

No ano até sua morte em 1991, Mary deixou de olhar seu filho Richard, agora com nove anos*, e seu pai, Cais Cameron, para atender a Freddie enquanto sofreu os estágios finais da AIDS. Ao mesmo tempo, estava preparando-se para o nascimento de um segundo bebê, Jamie, agora com oito*.

Muito antes que ele contasse a quaisquer de seus amigos ou aos membros do Queen que tinha AIDS, ele confiou seu segredo a Mary. Desse momento, ela estava lá a cada dia para tentar confortá-lo, enquanto ele se tornava gradualmente mais doente. Como ele começou perder sua visão e seu corpo se tornou tão fraco que finalmente ele não conseguia nem mesmo sair da cama, Freddie decidiu enfrentar a morte recusando-se a tomar seus medicamentos. ‘Era decisão de Freddie enfim, terminar tudo – ele escolheu o tempo de morrer’ Mary recorda em um sussurro. ‘Ele soube que estava vindo – que estava mais perto que alguma vez tinha estado antes’. Então disse de repente, ” eu decidi que eu tenho que ir! “

‘Sua qualidade de vida tinha mudado tão dramaticamente e ele estava sofrendo cada vez mais diariamente. Perdia sua vista. Seu corpo tornou-se mais fraco enquanto sofria ajustes moderados. Foi tão angustiante vê-lo deteriorar-se desta maneira. Um dia decidiu que era bastante e parou todos os suplementos médicos que o mantinham vivo. Desligou apenas. A coisa opressiva para mim era que ele era tão inacreditavelmente valente. Olhou a morte na cara e disse, ” Bom, eu aceitarei isto agora – eu irei ” Mas estava calmo e morreu com um sorriso em seu rosto.’

‘Após sua morte, em 24 de novembro, 1991, Mary se mudou para a casa palaciana de Freddie, mas a medida em que ela vagava pelas galerias de quartos de assentos enormes, cercados por tesouros de Freddie, seus sentimentos foram de confusão e solidão. ‘Aquela foi a época mais solitária e a mais difícil de minha vida após Freddie morrer’, diz. ‘Eu sabia que eu estava tendo dificuldade em relação `a sua morte e tudo que tinha me deixado. Foi melhor ter ficado sozinha para sair disso.’

Mary – que tinha crescido em uma casa modesta em Fulham, Londres ocidental – achou que havia muito para lutar; a responsabilidade da casa e da equipe de funcionários e de repente a vinda de riqueza imensa. Havia complicações em cima do testamento e alguns dos parentes de Freddie e amigos estavam aborrecidos que ela possuisse tanto.

‘Sempre tive Freddie a volta e ele sempre me teve a volta se necessário fosse. De repente, não havia ninguém para me ajudar. Me fez perceber que eu não era tão auto-suficiente como eu gostaria de ter sido. Tanto quanto eu tinha sido uma amiga para ele, eu percebi o quanto meu amigo ele tinha sido – o fato apenas de saber que ele estava lá.’

‘Ele foi sempre muito protetor para mim. Eu só percebi completamente, depois que morreu, como ele tinha sido meu protetor . Se algo acontecesse, a palavra dele era, ” Oh querida, não se preocupe nós conseguiremos apesar disso ” Ele era inspirador. Na época que ele soube que estava com AIDS e que tinha somente um tempo limitado para viver, tivemos uma conversa séria impar quando ele me disse, “venha e sente, nós não sabemos quanto tempo nós temos.”

Mary lidou com a enormidade da generosidade de Freddie transformando-se mais que uma reclusa dentro das paredes seguras de pedra da casa da estrela. ‘Eu me senti muito fora de minha profundidade realmente, ‘ explica. A equipe de funcionários de Freddie tinha sido como uma família para mim, mas após sua morte muitos deles se foram, porque ele tinha sido tão generoso para eles. Eu tive noites sem sono preocupando-me com tudo. Eu sentia como se eu tivesse feito algo errado e a paranóia começou. Alguns dos fãs mesmo disseram-me que eu era somente a zeladora da casa. Que ofensa. Eu sei que vários amigos gays de Freddie ficaram surpresos que Freddie tinha me deixado tanto. Houve aqueles que pensaram que a casa deveria ter sido deixada pra eles. Era como se tivessem inveja que eu possuísse o que ele me deixou.’

Embora Freddie tivesse morrido em 1991, isso foi oito anos antes de Mary receber o volume de seu dinheiro da herança. ‘Foi um tempo preocupante, ‘ diz. ‘O motorista tinha sido pago, mas sem o dinheiro passando por mim, eu não sabia se eu poderia ter recursos para manter a casa. Eu me senti sob muita pressão.’

Em contraste com o ídolo de rock excessivo, Mary, 48*, é tímida e dá a impressão de faltar alguma real confiança em si própria. Completamente oposta ao extravagante Freddie, é pequena e magra, com olhos verdes e cabelo estirado. ‘Eu não sou certamente nenhuma beleza rara, ‘ diz, como um dos gatos exóticos de Freddie junto dela em um sofá, vermelho escuro na casa onde nada foi mudado. Mary manteve a decoração e os moveis exatamente como eram quando Freddie morreu. ‘Ele tinha um estilo impecável então porque mudar isto ?’ Ela diz.

Sua morte deixou um vácuo em sua vida. ‘Eu perdi alguém que eu pensei que fosse meu amor eterno. Quando ele morreu, eu senti que nós tivemos um casamento. Nós vivemos nossos votos. Nós estávamos para o melhor para o pior, para a riqueza para a pobreza. Na doença e na saúde. Você nunca teria deixado Freddie a menos que ele morresse. Mesmo então era difícil.’

A proximidade do casal sempre causava dificuldades para outros. Nenhum dos namorados de Mary foi semelhante, ela parou de viver com Freddie em 1980, durou por muito tempo. Eles vieram a perceber logo que eles estavam compartilhando suas afeições com a escandalosa estrela de rock e aquele laço especial de lealdade e amizade íntima nunca poderia ser penetrado por um novo companheiro. Mesmo o pai das duas crianças de Mary , Cais Cameron, pintor, eventualmente encontrou todas as circunstâncias muito incomuns e caiu fora da vida de Mary completamente. ‘Ele sempre se sentiu ofuscado por Freddie, ‘ diz Mary. ‘Freddie tinha alargado a cultura de minha vida, introduzindo-me ao mundo do ballet, da ópera e da arte. Eu aprendi muito com ele e ele tinha me dado pessoalmente tanto. De maneira nenhuma eu quereria deixá-lo, nunca.’

Como outra maneira de mante-la perto, Freddie criou um trabalho para ela, fazendo dela secretária para a musica e publicidade, ele correu pra sua casa. Após a morte trágica de Freddie, Mary levou anos para aceitar que Freddie tinha saído finalmente de sua vida. Foram cinco anos antes que ela mesma pudesse dormir em seu enorme, quarto principal amarelo. Antes desse tempo, ela deixou apenas tudo nele intocável .

‘Eu tinha despendido tanto tempo com ele estando indisposto e havia tantas recordações naquele quarto. Recordações dele sofrendo. Eu só via este homem muito frágil deitando em sua cama e me lembrei de todas as pequenas coisas que eu fazia para ele. Penteando seus cabelos, porque ele deitava e todos seus cabelos estariam caindo.’

‘Durante aquela época eu senti realmente tal amor por ele. Eram os momentos dos quais eu lembrava cada vez que eu olhava sua cama. Eu sentaria cada dia ao lado da cama por seis horas, se estava acordado ou não. Ele acordaria de repente acima e sorriria e diria, o “Oh, it’s you, old faithful.”

Somente Mary sabe aonde as cinzas de Freddie foram colocadas finalmente. Ele lhe deu a responsabilidade de tratar delas e fez ela prometer que nunca revelaria onde foram escondidas. ‘Eu fui muito negligente com elas, ‘ diz, abertamente. ‘ Eu as deixei durante algum tempo na ‘Chapel of Rest’. Eu sabia que eu tinha esta responsabilidade, mas eu não pude trazer eu mesma para me separar finalmente dela. Eu tive que fazer isto sozinha como ele pediu, e manter isto em segredo. Isso foi algo que não animou a família dele gostar de mim nem mais nem menos do que eles gostavam. ‘

‘Eu achei tudo um pouco fantasmagórico. Elas estavam em um saco plástico dentro da urna. Mais tarde eu tive que pôr tudo de volta e aparafusar isto junto. Eu pensei de repente, ” eu acho que você só deixou um pouco de muito para eu fazer, Freddie “.’

Mary tinha 19 anos quando se encontrou primeiramente com Freddie. Até então sua vida tinha sido escassa. Seus pais eram pobres. Seu pai trabalhava com acabamento manual para papel de parede e sua mãe como domestica em uma pequena empresa. Ambos eram surdos e comunicavam-se através de linguagem de sinais e leitura dos lábios.

Mary deixou a escola multidisciplinar aos 15 anos sem concluir o nivel básico. Seu prmeiro emprego foi como secretária trainee com Remingtons, ganhando 5 Libras por semana, mais tarde promovida a Gerente na incrivel loja hip BIBA, em Kesington. Enquanto trabalhava na Biba , conheceu Freddie e o baterista do Queen Roger Taylor, que tinha uma tenda no mercado próximo de Kensington, vendendo roupa usada e a arte de Freddie.

O guitarrista Brian May apresentou Freddie e Mary, em uma discussão sobre o grupo. Estavam tentando escolher um nome para a banda. Freddie queria chamar o grupo de Queen, enquanto Brian preferia“Built Your Own Boat”(Construa seu proprio barco). ‘Eu lembro do cabelo preto, volumoso de Freddie, que lhe fez parecer como um cavalheiro, com seu braço descansando no console da lareira da casa de Brian em Barnes. Ele estava muito orgulhoso de seus sapatos brancos novos. De repente virou-se para mim e perguntou-me o que eu achei sobre os nomes. Eu disse, ” Oh eu acho, Build Your Own Boat, do Brian” Mas Freddie conseguiu de sua própria maneira, como fazia com a maioria de coisas. Eles concordaram com Queen.’

Embora intimidada completamente, Mary encontrou-se fascinada por este ‘olhar selvagem musical artístico’. ‘Ele era como ninguém que eu jamais tinha encontrado antes. Era muito confiante e eu nunca fui aquela pessoa confiante. Nós crescemos muito juntos. Eu gostei dele.’

‘Levou 3 anos para eu me apaixonar de verdade. Mas eu nunca tinha me sentido daquele modo antes perto de ninguém.’ Ela compartilhou primeiramente de uma quitinete de £10- por semana com Freddie na Victoria Road, Kensington. ‘Nós tínhamos tão pouco dinheiro que podíamos dispor só um par de cortinas e então nós a penduramos no quarto. Nós tivemos que compartilhar o banheiro e cozinha com o outro par.’

Depois de dois anos, eles passaram para um reservado apartamento, maior, em Holland Road que custava então £19 por semana. Até lá o grupo tinha assinado um contrato e tinha tido o seu primeiro maior hit, Bohemian Rhapsody, e todas as fotografias para o primeiro álbum foram tiradas naquele apartamento.

Foi em um show organizado na Ealing College of Art, a escola de arte de Freddie, que Mary reconheceu sua qualidade de estrela. ‘ Quando ele desceu do palco todas as meninas e os amigos estavam aglomerados em sua volta, ‘ ela recorda. ‘ Ele era tão ocupado eu só pensei, ” eu não acho que ele precisa de mim agora “. eu comecei a caminhar para fora e ele veio, correndo atras de mim. Ele disse ” Onde você vai “? eu lhe falei, ” eu vou para casa “.’

‘ As coisas tinham de repente dado uma volta para ele e a banda. Freddie foi tão bom naquele palco – como eu nunca tinha visto antes, como se fosse algo que ele tinha acumulado. Pela primeira vez eu sentia: “Aqui esta uma estrela se formando. Ele está a caminho. Eu não acho que ele precisa mais de mim “. eu não me sentia chorosa ou chateada. Eu estava contente que estivesse acontecendo afinal para ele, por causa de seu talento. Ele não me deixaria ir. Naquela noite, percebi que eu tinha que ir junto com isto e ser uma parte disto. Como tudo foi, eu estava vendo ele florescer. Era maravilhoso observar. Havia algo sobre ver isso acontecer que era tão excitante – eu estava tão contente e orgulhosa que ele queira estar comigo. ‘

‘Eu me sentia muito segura com ele. Mais e mais, eu consegui conhece-lo, mais e mais, eu o amei por ele mesmo. Ele tinha qualidades como pessoa que eu acho que é raro na vida estes dias. Uma coisa que sempre era constante era o amor. Nós sabíamos que nós poderíamos confiar um no outro e nós estávamos seguros um com o outro. Nós sabíamos que nós nunca nos feriríamos um ao outro de propósito. ‘

‘ Em um Natal ele me comprou um anel e pôs numa caixa maior. Nós íamos ver os pais dele no Dia de Natal. Eu abri a caixa e dentro dela tinha outra caixa, e assim foi até que eu peguei uma caixa muito minúscula. Quando eu abri, havia este bonito anel de escaravelho egípcio. Supoe-se que traz sorte. Ele foi muito doce e totalmente tímido ao me dar isto. ‘

Foi depois que eles tinham se mudado para o segundo apartamento deles na Holland Road, que Mary começou a achar que algo estava dando errado com a sua relação de seis anos. ‘Mesmo se eu não quisesse admitir isto completamente, eu tinha percebido que algo não estava bem. Embora eu não soubesse o que era, eu decidi discutir isto com Freddie. Eu lhe falei, ” Algo está acontecendo e eu só sinto um laço ao redor de seu pescoço. Eu acho que está na hora de eu ir “. Mas ele insistiu que nada estava errado. Então a vida dele subiu verticalmente com o sucesso do primeiro álbum e singles. ‘

‘As coisas nunca foram as mesmas depois disso. Nossa relação esfriou. Eu sentia que ele estava evitando qualquer confrontação comigo. Quando eu chegava em casa do trabalho ele só não estaria lá. Ele entraria tarde. Estava claro. Nos não éramos tão íntimos quanto nós já tínhamos sido.’

Como Freddie se tornou uma celebridade internacional, Mary freqüentemente achava que ela podia um dia perde-lo para outra mulher – mas nunca para um amante masculino. Tudo mudou num dia quando Freddie lhe falou que ele tinha algo importante para dizer, algo que mudaria toda a relação deles para sempre. ‘ Ele disse, ” eu acho que eu sou bissexual “. eu lhe falei, ” eu acho que você é gay “. E nada mais foi dito. Nós só nos abraçamos. ‘

‘Eu pensei, ” Ele tem sido muito valente “. Sendo um pouco ingênua, levei um tempo para perceber a verdade. Depois ele se sentiu bem em ter me falado. Ele disse. ” Eu percebia que eu tinha uma escolha. A escolha era não lhe falar, mas eu acho que você é dona da sua própria vida “. E eu pensei, ” Sim, tanto quanto você é dono da sua “.’

Ela decidiu que estava na hora de se mudar, mas Freddie insistiu que ela não devesse se mudar para muito longe. ‘ Eventualmente nós achamos um lugar perto dele, o qual ele queria que eu tivesse. Estava perfeito para uma única pessoa como eu. Sua empresa comprou isto para mim por £30,000. Eu poderia ver o próprio apartamento de Freddie de meu banheiro. Eu pensei, ” Oh, eu nunca vou escapar! ‘

‘Eu era muito feliz lá. Era pequeno, mas eu era completamente feliz com lugares pequenos. Minha família era muito pobre’, recorda.Eramos cinco e meus pais sofreram para nos criar mas conseguiram. A vida sempre foi um sufoco para eles.’

A vida de Mary hoje esta muito longe de tal luta. Ela compartilha sua casa magnífica com Nick, empresário de Londres com 48 anos que ela se casou dois* anos atrás. Sem contar para ninguém, eles se casaram em Long Island só com os dois filhos de Mary, Richard e Jamie, ao lado deles. ‘Eu acho que o Nick foi muito valente em me assumir, realmente. Eu venho com muita bagagem, um capítulo enorme em minha vida. No princípio, por causa do passado e os casos rompidos, eu não estava completamente segura sobre matrimônio. Então alguém disse, ” Você não sabe até que você tenta “.’

‘Mas como a vida se desenrola, eu posso ser agora feliz com ele. Eu posso apreciar o que eu tive e o que eu tenho agora e seguir. Eu estava chegando lá, mas eu acho que eu só pooderia ter seguido conhecendo alguém.’

‘Quando eu conheci Nick tudo veio muito mais rapidamente ao redor. Eu quis um pouco de estabilidade por mim e pelas crianças. Eu sentia que este homem poderia nos dar isso – estabilidade de um modo familiar amoroso. Eu realmente tinha perdido minha família quando Freddie morreu. Até mesmo os meninos que trabalharam na casa para ele eram minha família, mas todos eles se mudaram. Freddie foi tudo pra mim, aparte de meus filhos. ‘

Freddie tinha ficado tão emocionado quanto ela sobre a chegada de seu primeiro filho e costumava visita-la no hospital. Ele ensinou para o pequeno menino a dizer as suas primeiras palavras, ‘trator’ e ‘guitarra’.

Agora a generosidade de Freddie permitiu para Mary educar ambos seus filhos reservadamente. ‘De alguns modos, eu definitivamente acho que havia uma parte de Freddie que teria gostado de uma vida familiar, uma casa feliz e crianças,’ diz. ‘Eu não sei o quanto de um grande heterossexual ele teria sido.’

‘Eu achava originalmente que eu o tinha perdido por ser gay. Entretanto se ele tivesse sido totalmente heterossexual, eu acho que eu o teria perdido eventualmente para outra mulher, particularmente quando a fama veio. Mulheres o seguiam, embora elas suspeitassem que ele fosse gay. ‘

Um das coisas favoritas de Freddie era dar festas. O mais ultrajante, melhor. Ele voou com seus amigos para Munich para um espetacular “black and white drag ball”; `a Ibiza para uma colorida festa ao ar livre para mais de 1,000 convidados; e organizou uma “hat party” em sua casa de Kensington. Nesta época, embora ele estivesse compartilhando sua casa com seu parceiro, o cabeleireiro Jim Hutton, Mary sempre foi convidada para as festas.

Freddie viveu com o conhecimento de que ele era HIV-positivo durante sete anos. Ele tinha 45 anos quando morreu de pneumonia bronquial Aids-induzida.

Nos termos de seu testamento, Mary foi deixada com 50 por cento de toda sua herança, então calculada em torno de £10 milhões, e de renda futura. Seus pais e sua irmã tinham a receber 25 por cento cada. Além disso, ele deixou para Jim Hutton £500,000 e lhe comprou um lote de terra para construir uma casa em seu país, a Irlanda. Ele também deixou £500,000 para seu assistente pessoal Peter Freestone ,e seu cozinheiro José Fannelli, e £100,000 para Terry Giddings, seu motorista e guarda-costas.

Mary também é uma fiduciária da fundação de Aids montada em nome de Freddie. A Phoenix Trust, fundada em Montreux, Suíça onde o Queen tem seus próprios estúdios de gravaçao. Como ele era um showman tão vivo e cheio de energia, eu finalmente perguntei a Mary se talvez , de um certo modo, tenha sido certo que não lhe fosse permitido envelhecer.

Surpreendentemente, respondeu: ‘Não, Eu preferia que acontecesse de outra maneira. Eu deveria ter ido primeiro – Eu preferia faltar-lhe a ele faltar-me…’




A Equipe Queen Net agradece a Sandra Calheiros, pela tradução desta entrevista.

Agradecimentos a Vera de Luca que fez algumas correções em relação a algumas expressões.

Essa entrevista encontra-se originalmente no site http://www.freddie.ru/


Deixe um comentário: