Entrevista com Brian May

Enviada por:
Data: 28/12/2004 13:17:20
Postado em: Queen News

Assista a entrevista de Brian May realizada em 10/12, com Mirjam Weichselbraun sobre o Musical We Will Rock You. Clique em [URL=http://www.zdf.de/ZDFmt/mediathek/0,3496,MT-2238771,00.html]http://www.zdf.de[/URL].

MIRJAM WEICHSELBRAUN [Fazendo introduções]. . . Brian May. Muito obrigada por estar aqui. É uma grande honra para mim. Você teve ensaios para seu desempenho de Wetten, Dass..? Nós veremos uma parte do We Will Rock You, seu musical. O Musical nós vimos agora na Alemanha. Tem muito êxito no mundo inteiro, Espanha, Inglaterra. Agora na Alemanha. O que você espera?


BRIAN MAY: A reação já é grande. O espetáculo está mais evoluído na Alemanha, você sabe. Nós aprendemos muitas lições ao redor do mundo. Nós fizemos algumas mudanças e o espetáculo está especial em relação aos scripts, porque o espetáculo está ciente que está na Alemanha, e metade está em alemão, e metade está em inglês – e há uma razão para isso, você sabe, de acordo com a história que você terá que ver o espetáculo para entender. Mas isso faz algo engraçado. É um espetáculo engraçado, mas também faz algum tipo de um ponto sobre talvez o que esteja acontecendo no mundo em relação à música e a globalização e a homogeneização e tem a música do Queen.

MW: Yeah, a música do Queen. Há uma Killer Queen e uma Ga Ga Land, e então como foi para vocês acharem uma história sobre as canções? Como foi isto com Ben Elton e você escreverem uma história para. . .


BM: Foi grande. Eu quero dizer nós tentamos várias coisas diferentes para fazer o musical e então Ben Elton propôs esta idéia maravilhosa, e a idéia foi – Não vamos olhar no passado. Olhemos para o futuro. Então nós olhamos para as crianças. Não somos nós nisto. Ninguém representa Freddie. Ninguém me representa, mas nós estamos olhando para crianças no futuro e elas estão procurando por coisas que foram perdidas no futuro como o Espírito de Rock’n’roll. Então nós achamos imediatamente que era uma grande idéia e há algumas oportunidades muito engraçadas para diversão e um pouco de comentário satírico que eu suponho que está acontecendo na música. Você sabe, o fato de que música talvez esteja se tornando muito mecanizada agora, você sabe, e as pessoas fazem mímica todo o tempo, pessoas, você sabe, tudo é muito artificial. Então algo disso é um comentário no musical.

MW: Não é estranho. Eu poderia imaginar se você olhasse pra trás no começo de sua carreira e agora há um Queen musical, e todo o mundo está falando sobre suas canções e quase todas as pessoas sabem uma canção do Queen, Como é para você se você olhasse pra trás?

BM: Você sabe, às vezes eu não posso acreditar nisto. . . . Eu acordo e eu não posso acreditar no que aconteceu. Você sabe, todo o mundo sabe nossas canções. É como um sonho. Eu às vezes acho que se alguém me beliscar eu acordarei, você sabe, é surpreendente. Há um musical, yeah, e eu acho que depois que nós estivermos mortos o musical ainda estará lá – eu acho – você sabe, mas tem algo eterno nisto, e isso é por que é muito importante para nós. O Roger e eu, Roger e eu realmente passamos 3 anos de nossas vidas trabalhando no musical trazer isto ao ponto que está agora em Cologne, e foi muito importante para nós – uma continuação de nossa “vibe”, se você gostar, você sabe – o espírito do que nós fazemos.

MW: Você é um “rock’n’roller”, e sobre musicais? Há alguns outros musicais de que você gosta? Você sabe, normalmente eu diria ‘ musica’ de rock’n’roll, musicais…?


BM: Eu sei o que o Roger disse nesta pergunta. Roger disse, ” eu odeio musicais “, certo. Eu quero dizer, realmente quando eu estava crescendo eu não gostava de musicais – não realmente, você sabe. Eu achava que era algo muito preso, muitos ensaiavam e nenhuma espontaneidade e nenhuma paixão, mas é possível. Eu acho agora que dentro da estrutura de um musical é possível ter paixão. Você sabe que isso realmente tem sido nossa busca – fazer algo no qual a música ainda possa viver. A música não é um fóssil. Não é algo que é só pontilhar que as pessoas leem e eles têm uma habilidade no espetáculo – os músicos e os cantores e os dançarinos – se expressar como também só a música que eles estão representando você sabe, assim foi um desafio. Eu tenho que dizer que há alguns musicais dos quais eu gosto. Eu amo West Side Story. Eu sempre amei West Side Story por causa da paixão, você sabe, por causa daquele sentimento. Você chora e você ri. Você tem que rir e você tem que chorar e sentir que a vida é real. A maioria dos musicais – não – não realmente. Talvez, yeah – mas eu gosto do nosso musical. [risos]

MW: Eu imagino. [risos] Você disse que é como um sonho, você sabe, e muitas pessoas ainda são tocadas através das canções do Queen. Como é para você? Você é orgulhoso de ver algo dos materiais comerciais da Pepsi, por exemplo, com Beyonce Knowles, Britney Spears, Pink and Enrique Iglesias cantando suas canções? Como é para você?


BM: Foi grande. Esse exemplo particular é grande porque eu produzi a gravação e eu consegui trabalhar com estas pessoas. Elas são todos maravilhosas de se trabalhar e é como um elogio que elas queiram cantar nossas canções. Ah, para mim é um sonho. Yeah, eu sou uma pessoa muito afortunada. [risos] eu consigo me divertir e as pessoas desfrutarem disto.

MW: E você está voltando em turne que eu tive notícias de Roger, ano que vem.


BM: Ahhhh – yeah. Nós não empurramos o botão finalmente contudo, mas realmente nós tomamos a decisão de que nós queremos fazer isto. Finalmente nós achamos um cantor com o qual queremos trabalhar. Não significa que ele vá se juntar à banda. Ninguém está substituindo Freddie, mas Paul Rodgers, nós tocamos com ele na outra semana na Inglaterra, e ele tem uma empatia surpreendente com nossa música e tal paixão, e uma voz maravilhosa. Nós pensamos ‘ Okay’. Este é alguém merecedor de sair e fazer algo novo. Novamente não é… nós tocaremos algumas velhas canções provavelmente, mas nós queremos fazer algo novo. Nós queremos fazer algo que signifique algo agora.

MW: Você sempre esteve pensando em Robbie Williams como um cantor?


BM: Bem, eu amo Robbie. Eu amo Robbie, e nós falamos, você sabe, muitas vezes. Ele é um amigo e nós na verdade fizemos…

MW: Você toca Eternity de fato no album novo dele, Greatest Hits, certo?

BM: Yeah – e também ele cantou. Nós fizemos uma versão de We Are The Champions juntos. Você soube?


MW: Yeah, eu sei.

BM: Yeah, yeah ele cantou grande e ele cantou isto ao vivo que é grande… eu quero dizer eu acho que Robbie é um dos muito poucos artistas jovens que realmente têm “it”. Você sabe que ele tem uma voz fantástica. Ele tem habilidade para se comunicar, e Robbie agüenta a alma dele. Ele realmente, ele se desfaz, e isso leva grande coragem e grande habilidade e ele é fantástico.

MW: Mas não o cantor certo para o Queen?

BM: Bem, você sabe, ele pode nos chamar se ele quiser cantar conosco. [risos]

MW: OK. Robbie. . . [em alemão]

BM: Ele sabe. Ele sabe que nós podemos fazer coisas juntos, você sabe, talvez em algum ponto nós podemos fazer algo. EU NÃO SEI.

MW: Como você se lembra de Freddie? Todos nós conhecemos Freddie Mercury, nós conhecemos as canções, nós conhecemos o artista, nós conhecemos o intérprete, mas como você se lembra da personalidade dele? Você está pensando em segredos, momentos com ele, ou…?

BM: Houveram tempos difíceis, você sabe, depois que ele se foi às vezes foi muito difícil de pensar nisto e eu acho que eu tive um período inteiro de aflição, onde eu não queria falar sobre isto e eu não queria tocar as canções e tudo, você sabe. Quando você consumir isso, você sai do outro lado, e AGORA eu me sinto feliz quando eu penso nele e eu sinto como uma alegria, e eu vejo a maldade dele e o sorriso dele e eu me sinto feliz que nós tivemos um tempo juntos. E ele pôde deixar este mterial, você sabe. Agradeço a Deus que nós temos gravações dele e nós juntos, e vídeos, e você sabe, de alguns modos, em muitas formas ele ainda está vivo conosco. Nós sentimos como o espírito dele está muito perto de nós.

MW: Muito obrigada pela a entrevista e eu tenho que dizer que eu sou realmente invejosa do seu cabelo.


BM: Você é muito amável…. eu odeio meu cabelo.


MW: Não, que isso!!

BM: tirar tudo brevemente.


MW: Não, não faça, não faça isso Brian. Por favor prometa, OK? Ei, prometa?


BM: [Protestando] OK.


MW: OK. Meus agradecimentos. Brian May. Muito obrigado.





Deixe um comentário: