EU FUI NAMORADA DE FREDDIE MERCURY – PARTE 3

Enviada por:
Data: 23/08/2004 17:04:48
Postado em: Queen News

” eu era uma cavilha de roda, a ponte entre seu mundo de fantasia e seu mundo real, e se eu o levasse até a ponte, eu temia que ele não seria mais meu. Eu dei desculpas sobre apresentá-lo a Patrick Woodcock e nós tivemos brigas terríveis sobre isso. Eu não entendia completamente. Eu acho que eu sabia que ele era gay, porém eu não achava que ele estava vendo outro alguém. Eu sentia que eu era a pessoa que faria isso acontecer ou Eu teria que ir embora.”

” Eu não o vi de novo, porque eu pensei que já tinha perdido o sentido, quebrado a magia. Eu disse para ele não me ligar, eu fui dura, e isso nunca aconteceu. Não muito tempo depois eu conheci meu primeiro marido cheia de ” eu tive um relacionamento com um homem que era gay, isso realmente me transtornava” porque ele era patético. Eu suponho que o conserto era ouvir dele que fui traída por Freddie; Isto era o que eu precisava ouvir para tirar toda a minha tristeza, frustração e a decisão de deixar Freddie, Eu queria mudar. De certa forma Eu não poderia. Eu não podia ver programas na tv sobre ele. Era como se meu passado tentasse me apanhar novamente. Mas o que eu percebi é que o que aconteceu com Freddie não foi tão ruim quanto levar um fora. A dor é muito maior!”

O segundo marido de Rose nunca manifestou sua sexualidade, ela diz ” ele nunca se revelou mas depois que nos separamos ele se mudou e se tornou um solitário. Há uma maneira de vida que manifestou, mas por si só mas não foi discutida comigo, ou a meu conhecimento com ninguém. Era como “Brideshead Revisited ” e meu marido era Sebastian. Você não faz muitas perguntas. Você se pergunta quão válida foi sua relação, isso se apaga. Eu acho que foi danoso para a minha auto estima, então eu não poderia dizer Eu sou uma coitada por isso, eu tenho tentado explorar e isso faz parte de uma fábrica. É o que eu faço.”

Suas pinturas é parte disto, e ela tem feito muitos trabalhos acadêmicos explorando o que ela chama de masculina/feminina dicotomia, então ela admite que falando sobre ela pode ser mais emocional do que racional.” Algumas coisas são muito dolorosas para se lidar , mas são informativas. Elas te fazem o que você é.”

Foi uma proteção não ter acompanhado a carreira de Freddie? Ela concorda ” Eu coloquei isso longe o quanto eu o amava. Sim. Eu amo aquela inteligência criativa, isso é muito raro. É tão triste. Você não pode fingir que isso não diz nada para você. E de fato diz. Eu não me arrependo que eu tenha deixado ir, não no lado racional, mas no irracional, certamente , um pouco me arrependo.”

Agradecimentos a Milene Durão pela tradução do texto!
Veja a entrevista em inglês no [URL=http://www.timesonline.co.uk/article/0,,7948-1225285,00.html]Times OnLine[/URL]





Deixe um comentário: