Jeff Scotto Soto fala do Queen em Entrevista !

Enviada por: Administrador
Data: 18/02/2004 09:49:07
Postado em: Queen News

O que falar sobre este cara? Ele literalmente tem um dos maiores “curriculuns” do rock and roll. Desde Malmsteen até música disco, passando por hard e heavy metal. Jeff sempre pôs sua qualidade e habilidade em grandes projetos, e grandes lançamentos. Um dos mais recentes foi o belo DVD com um show realizado na “Queen Convention in LA 2002″, aonde o mesmo desfila categoria e habilidade nos clássicos imortalizados por Freddie Mercury. Para falar deste lançamento, e de muitos outros aspectos de sua vida musical, um simpaticíssimo Jeff Scott Soto respondeu a várias perguntas, sem titubear em nenhuma. Confira abaixo como foi a entrevista, exclusiva para o site WHIPLASH!(Acesse a entrevista completa clicando aqui)

Whiplash – Olá Jeff. Vamos inicialmente falar sobre sua discografia. Você tem uma das mais extensas discografias do rock and roll, e englobando outros estilos musicais. Em um ano você chegou a lançar 3 álbuns ao mesmo tempo. Como você consegue manter tantos projetos em tão pouco tempo?

Jeff – O processo de gravação, nos tempos atuais, é extremamente fácil e eficaz. Sou um compositor 24 horas por dia, 7 dias por semana, então é fácil arrumar tempo para por todo esse material para fora. Sou realmente um “workaholic”. Mais do que um meio de vida, realmente adoro fazer isso. Após vários projetos e turnês, estou muito feliz em poder continuar mostrando ao mundo o que posso oferecer. As coisas estão ficando mais loucas e ativas nestes meses do ano, então preparem-se para muito mais, boas novas virão.

Whiplash! – Uma de suas primeiras experiências foi com Yngwie Malmsteen. Como foi trabalhar com ele em 1984 e 1985. É verdade que Yngwie o convidou para cantar em seu cd “Seveth Sign”, mas ele queria que você cantasse como fazia antigamente, fazendo-o desistir do projeto?

Jeff – Primeiro, deixe-me corrigí-lo. Na banda de Yngwie, você trabalha para ele, não com ele. Uma vez que isso está bem assimilado, você conhece seu lugar e as regras, pode-se trabalhar com ele por anos. Não sei se foi em “Seventh Sign”, mas em pelo menos 5 ocasiões ele me convidou para voltar a sua banda, mas eu não estaria pronto para voltar. Eu preciso de espaço para me expressar muito mais, criativamente e musicalmente, jamais ficaria 100% satisfeito em me limitar ao estilo de Yngwie. Não é não querer ficar num só estilo, eu gosto de misturar, experimentar e por em cd minhas idéias.

Whiplash! – Porque você saiu da banda de Yngwie em 1986? Você trabalharia com ele de novo?

Jeff – Sempre deixarei uma porta aberta para ele. Ele é um cara extremamente talentoso e respeito seu “status”. Mas como disse, seria uma limitação para mim, e nunca estaríamos no mesmo plano musical. Ele continua com as mesmas idéias de antes, enquanto eu tenho mais de 20 lugares para explorar.

Jeff – É fácil. Quando um acaba, vou para o outro. Talisman sempre foi meu favorito. Mas agora eu dou preferência a minha carreira solo, porque ao vivo posso tocar de tudo. Minha banda é muito versátil, podemos fazer tudo o que as outras bandas em que toquei e ainda toco fazem, e ainda mais. Whiplash! – Você pretende voltar a gravar com os Boogie Knights? Se sim, como seria um cd novo com eles? Jeff – Não. Me concentro em minha carreira solo agora. Chega dos Bee Gees (risos). Whiplash! – Você cantou 4 músicas na trilha sonora do filme “Rockstar”. O que você achou do filme, e porque não escreveu nada especialmente para ele?

Jeff – Gostei bastante. Além de divertido, mostrou alguns aspectos do cenário rock dos anos 80. Fui convidado para cantar quando o material já estava todo escolhido, por isso não escrevi nada.

Whiplash! – Ano passado você tocou em algumas convenções de fãs do Queen com sua banda solo e dois vocalistas de apoio, tendo lançado um DVD de um destes shows. Porque você começou este novo projeto e vocês ainda pretendem fazer mais shows com esta banda tributo? Você já esteve em contato com algum membro do Queen, com tantos rumores de que a banda voltaria a ativa com um novo cantor?

Jeff – Fiz estes shows mais como uma retribuição ao fã clube do Queen, que foi mágico em me arrumar um encontro com Brian May. Eles também me ajudaram a cantar com o Queen em Los Angeles há 2 anos, então quando me perguntaram sobre a a possibilidade de fazer um “set” inteiro de músicas do Queen com minha banda, eu disse sim sem hesitar. Adoro Queen! Conheço todas as músicas, então não foi difícil para mim. Muitos boatos vieram depois e durante, mas falei com Brian May há poucos dias e ele me garantiu que até o momento não existem planos para uma reunião. Mas ele me prometeu que se isso ocorrer, serei lembrado e considerado. Pretendo fazer shows na convenção de novo este ano, mas depois destes eventos, não os farei mais. Há outros projetos para minha carreira solo que desejo explorar.

Maiores informações, acesse:

Whiplash.net

Fonte: http://www.queenbrazil.com

André Luiz.





Deixe um comentário: