Jeff Scott Soto: Os discos que marcaram a vida do vocalista

Enviada por: Alexandre Portela
Data: 16/03/2012 00:18:16
Postado em: Queen Outros

Em entrevista ao Noisecreep, Jeff Scott Soto comentou os cinco álbuns que mudaram sua vida. São eles:

Imagem

Queen – A Night At The Opera (1975): “Para mim, essa é a banda definitiva de todos os tempos. Performances lendárias e canções que só eles se atreveriam a juntar em um disco. O brilho vocal não apenas em ‘Bohemian Rhapsody’, como em ‘The Prophet Song’, misturado com novidades como ‘Lazing On A Sunday Afternoon’ e ‘Seaside Rendezvous’. O Queen se superou nesse álbum. Até hoje ele soa incrível para mim! A sincronia vocal de Freddie, Brian e Roger me fez querer ter uma banda com múltiplos vocalistas”.

Imagem

The Jackson Five – Diana Ross Presents The Jackson Five (1969): “O primeiro disco do Jackson Five me fez querer ser um cantor. Tinha 4 anos quando saiu e o impacto foi grande. A inocência capturada nesses garotos evidenciava que se tornariam ícones do mundo da música”.

Imagem

Van Halen – Van Halen I (1978): “Quando era mais novo, detestava Rock. Ouvia sons da Motown e os hits do rádio. Eddie Van Halen mudou o rumo da minha vida quando ouvi ‘Eruption’. David Lee Roth era um Deus para todos os novos vocalistas, nem tanto pela técnica, mas pelo estilo, o rei do palco. Esse álbum ainda vale ouro após tantos anos”.

Imagem

Journey – Evolution (1979): “Lembro de escutar ‘Lovin’, Touchin’, Squeezin’’ pela primeira vez e pensar que se tratava de algo familiar. Cresci ouvindo Sam Cooke e agora estava ouvindo um cantor de Rock no estilo do velho R&B junto de uma banda poderosa. Steve Perry era e ainda é um mentor em minha carreira”.

Imagem

Styx – The Grand Illusion (1977): “Foi provavelmente a primeira banda de Rock que funcionou comigo. ‘Come Sail Away’ é uma espécie de ‘Bohemian Rhapsody’ americana. Eles também possuíam três grandes vocalistas em Dennis DeYoung, Tommy Shaw e James Young, mostrando como diversificar a fórmula. Decorei cada letra e nota desse disco. ‘Castle Walls’ e ‘Fooling Yourself’ são brilhantes”.

Fonte: http://whiplash.net
Dica de: Roberto Mercury




Um comentário:

  1. Sempre me pergunto por que o Adam Lambert e não Jeff…

  2. Erick Rabello em 16/03/2012 às 0:27

Deixe um comentário: