Humor: Blog “Tenho mais Discos Que Amigos” simula entrevista com Freddie, “E se Freddie Mercury estivesse vivo?”

Enviada por: Alexandre Portela
Data: 07/07/2013 12:17:27
Postado em: QN Tube, Queen Outros

E se Freddie Mercury estivesse vivo?

Por: http://tenhomaisdiscosqueamigos.virgula.uol.com.br

Hoje estamos estreando aqui no Tenho Mais Discos Que Amigos! uma nova coluna assinada por Julião Pacheco, que irá tentar imaginar como seria se grandes ídolos da música que nos deixaram ainda estivessem vivos.

Para a primeira edição, Julião resolveu escrever sobre como seria se o mestre Freddie Mercury ainda estivesse vivo e conseguiu uma entrevista exclusiva* com o cara.

Confira e divirta-se logo abaixo!

Texto por Julião Pacheco

Freddie Mercury sempre foi um cara polêmico. Festas regadas a muita bebida, shows para enormes multidões, declarações polêmicas e muitos discos marcaram a carreira do cantor. Aos 67 anos, segue nos vocais do Queen, que completou recentemente 42 anos na ativa e será a principal atração do Rock in Rio. Ele fala com exclusividade ao TMDQA! sobre novas influências, seu passado na banda inglesa, a discussão com Glória Maria, a briga com os irmãos Gallagher e o deputado Marco Feliciano.

TMDQA!: Não acredito que vocês vão voltar ao Brasil! Como será tocar no Rock in Rio depois de 28 anos? Como vai ser o repertório?

Freddie: Aquele show foi inesquecível. Na verdade, toda vez que canto Love of my life, me lembro do público Brasileiro. Vai ser demais, quero fazer todo mundo dançar e cantar bastante, como antigamente. O repertório vai ser o que estamos acostumados a fazer. Queremos que as pessoas que vão nos nossos shows se divirtam. Só não sei se vamos tocar “Bohemian Rhapsody”.

TMDQA!: OI?! Mas eu tenho que ouvir “Bohemian Rhapsody” ao vivo pelo menos uma vez na vida, Freddie!

Freddie: Ok, vamos tocar, só porque você pediu. Mas você vai ter que subir no palco e cantar comigo.

TMDQA!: Obrigado, me sinto muito melhor, mas deixo o convite para a próxima oportunidade… Voltando ao Brasil, além de “Love of my Life”, quais são suas outras lembranças? Você lembra da Gloria Maria?

Freddie: Me contaram da história da Glória, me mostraram o vídeo. Eu não lembrava disso! Acho que ela mereceu, né? (Freddie dá uma bela gargalhada). Também lembro que fizeram uma festa para nos receber que foi um arraso. Muita cerveja gelada e capi… como se chama mesmo?

TMDQA!: Caipirinhas!

Freddie: Isso! Achei docinho e bebi várias. Terminei deitado no corredor do hotel, com o Brian May me acordando. Também gostei muito do ritmo do samba, queria aprender a dançar.

 

TMDQA!: O samba é fantástico. Esse ritmo chegou a te influenciar de alguma forma?

Freddie: Diretamente não, mas acho que o Queen tem muito a ver com a alegria que o samba demonstra.

TMDQA!: E o que te influencia hoje em dia?

Freddie: Muita coisa, ouço muita coisa mesmo. Gosto bastante dessa banda The Lumineers, e também do Passion Pit. Acho o Of Monsters and Men uma banda com muito futuro e sou fã da Brittany Howard, do Alabama Shakes. Quero tocar com ela um dia! Também escuto muita coisa antiga.

TMDQA!: Falando em passado, me conta – como o Queen ainda sobrevive, depois de tantos anos? De onde vem a força para levantar e tocar as mesmas músicas de 40 anos atrás?

Freddie: A música é a minha vida, Julião. Foi no palco, com meus amigos de banda, que me encontrei. Faço isso com tesão, acordo todo dia querendo tocar. Todo mundo briga, todo mundo pode ter discussões, mas somos como irmãos, todos nos conhecemos muito bem. O Queen é como a primeira namorada, sempre tem um lugar no coração. E é por isso que estamos juntos até hoje.

TMDQA!: Como você vê os novos fãs de Queen? Tem muita gente que comprou ingresso e que nem era nascida em 85, no Rock in Rio.

Freddie: Pois é. Acho que é porque a nossa música pode ser muito lúdica. Quando os pais ouvem os nossos discos ao lado dos filhos pequenos, eles acabam se interessando pelas melodias. Acho que é isso.

TMDQA!: Você gosta de Oasis, Freddie? (Mercury solta mais uma gargalhada – recentemente o cantor entrou em uma polêmica com os irmãos Gallagher. Eles disseram que Freddie deveria ter se aposentado nos anos 90).

Freddie: O pior é que eu gosto! Não ligo para o que os outros falam, já passei da idade. No dia que eles fizerem um show para 470 mil pessoas, como fiz no Rock in Rio, eles podem falar alguma coisa. Imagina se todo mundo que recebe uma provocação dos Gallagher entrasse na pilha? Não dá.

TMDQA!: Você deve ter ouvido sobre os recentes protestos que aconteceram por todo Brasil, alguns deles, contra um projeto de lei do deputado Marco Feliciano, que trata da “Cura Gay” (expliquei direitinho sobre o projeto, enquanto Freddie ia  se mostrando inquieto no sofá onde estava sentado). O que você acha disso?

Freddie: Que nojo! Será que posso ligar para o Medina, cancelando minha participação nos shows do Brasil, porque estou doente e preciso de cura? São atitudes como essa que me fazem desanimar as vezes. O Brasil está mais que certo em brigar contra isso. Vou fazer uma surpresinha para esse tal de Feliciano no meu show.

 

* Vale lembrar que isso é uma brincadeira, afinal, Freddie Mercury faleceu em 1991. Somos tão fãs de Queen quanto vocês =)

Julião Pacheco é jornalista e escreve sobre música no Blog do Julião e no Twitter @JuliaoPacheco

 

Fonte: http://tenhomaisdiscosqueamigos.virgula.uol.com.br
Dica de: Roberto Mercury




2 comentários:

  1. Nossa q legal chega ate emocionei. Sem palavras. Freddie tem q cantar bohap siim heim. Imagina so q louco q ia ser o rock in rio com freddie e queen

  2. Freddie Legends Never Die em 08/07/2013 às 5:54
  3. HAHAHAHAHA! Muuuuito bom! Eu consigo ver o Freddie respondendo algumas dessas perguntas hehe

  4. Clara Mercury em 07/07/2013 às 12:52

Deixe um comentário: