Montreux – Música do mundo em um cenário tipicamente alpino

Enviada por: Alexandre Portela
Data: 06/06/2012 23:19:49
Postado em: Queen Outros

Sossegada por natureza, a simpática Montreux abandona temporariamente a calmaria para receber figurões do jazz e até cantores brasileiros em um dos festivais mais célebres do planeta

O sossego da simpática Montreux está com os dias contados. A partir de 29 de junho, astros do calibre de Bob Dylan, Van Morrison e Tony Bennett vão subir aos palcos do Auditório Stravinski e do Miles Davis Hall como atrações principais do 46.º Festival de Jazz de Montreux. Estrelas da música como Alanis Morissette, Noel Gallagher e os brasileiros – que já têm lugar cativo no evento – Gilberto Gil e Jorge Ben Jor também terão o seu momento de fazer o público vibrar. Tal line up já é suficiente para mostrar que o maior festival de jazz europeu é, na verdade, um eclético e amigável encontro musical. Que combina perfeitamente com a atmosfera harmônica da cidade que o sedia.

Freddie Mercury, um dos mais queridos antigos moradores de Montreux, foi imortalizado como esculturaPequenina, localizada na fronteira com a França, Montreux tem tudo aquilo que se espera de um destino suíço. De um lado, montes esverdeados com as bases ocupadas por edificações de madeira, multicoloridas, tipicamente nórdicas. Do outro, as águas límpidas do Lago Genebra e, ao fundo, a panorâmica composta por montanhas cujos picos estão sempre cobertos de neve. Tudo isso interligado por ruas com perfeita sinalização, limpeza impecável e jardins de dar inveja.

Em época de festival ou não, é na beira do Lago Genebra que o turista começa a sentir o clima da cidade. Muito porque o largo calçadão de cerca de 7 quilômetros de extensão é utilizado pelos moradores em momentos diversos, desde uma caminhada no fim do dia até como ponto de encontro entre amigos. Todo arborizado com plantas variadas e as mais coloridas flores servindo de adorno, até parece que recebe cuidados diários. Praças, restaurantes e bares – muitos com uma agenda de jazz à noite – também contribuem para a descontração do local.

Na Avenue des Alpes, logo atrás da orla, fica o Le Chalet (lechalet-montreux.ch), um dos restaurantes de cozinha tradicionalmente suíça. Ideal para experimentar delícias locais como batata rosti recheada com queijo Tomme Vaudoise e bacon (20 francos suíços ou R$ 41,50) ou se deleitar com um fondue de queijo (38 francos ou R$ 79).

Ídolo local. A homenagem a um dos mais queridos antigos moradores de Montreux tampouco poderia ocupar outra área. É ali, ainda na beira do lago, que a estátua em tamanho real de Freddie Mercury foi instalada em 1996 e, hoje, recebe a visita – e flores – de visitantes vindos de todo o mundo. O vocalista do Queen (morto em 1991) morou na cidade por bons anos e ali manteve um estúdio. A paixão pela natureza exuberante e clima amigável da cidade era tanta que o astro escolheu o próprio Lago Genebra para ilustrar a capa de Made in Heaven (1995), um de seus discos.

Saiba mais

Festival: a 46ª edição do Festival de Jazz vai de 29 de junho a 14 de julho. Além do Auditório Stravinski e do Miles Davis Hall, haverá atrações ao ar livre e gratuitas – a agenda ainda não foi divulgada

Preços: ingressos para alguns shows já estão à venda. Os preços vão de 70 a 350 francos suíços (R$ 145 e R$ 725)

Site: veja a programação em montreuxjazzfestival.com

 

Fonte: www.estadao.com.br
Dica de Roberto Mercury





Deixe um comentário: